Em 30 de junho, a MTV americana lançou Scream, série baseada em um dos maiores fenômenos do terror teen, a franquia Pânico, que busca se reinventar na televisão e tornar cool novamente um gênero típico dos anos 90.

Como a moda de transformar filmes em seriados está em alta, o seriado de Pânico pode conquistar o público juvenil e os trintões saudosistas que acompanharam a interminável saga de Sidney, nos filmes interpretada pela inexpressiva Neve Campbell. A escolha de transpor enredos do cinema para a TV tem se mostrado muitas vezes complicada, vide o recente cancelamento de Hannibal, mas a aposta na marca Scream e a grande publicidade que a série tem recebido podem ser um diferencial.

A primeira temporada terá 10 episódios e encaixará o formato de assassinatos em série no contexto da juventude atual, com youtube, redes sociais e smartphones.


Nos anos 90, o gênero do terror teen virou uma febre no mundo e produziu serial killers com ganchos, facas, máscaras e todos os tipos de variações macabras possíveis. Com o passar do tempo, o gosto por terror no cinema foi reciclado e vieram os Atividades Paranormais ou o bom e velho formato de casas mal assombradas e bonecas Anabellas.

Com uma boa dose de nostalgia, o Observatório do Cinema relembra alguns dos representantes do terror teen para celebrar a volta de Ghostface para a cidade de Lakewood. Hello, Sidney!

Eu Sei O Que Vocês Fizeram No Verão Passado (1997)

Eu Sei O Que Voces Fizeram No Verao Passado

Talvez o primeiro de uma leva de filmes de terror teen pós Pânico. Um atropelamento desastroso, um assassino com um gancho de pescador arrepiante e Jennifer Love Hewitt como a mocinha ingênua da vez. Sucesso de bilheteria, a fita ainda projetou as carreiras do fraco Freddie Prinze Jr., da eterna Buffy, Sarah Michelle Gellar, e Ryan Phillippe. As atuações são vexaminosas, mas o que importava na época era a aniquilação gradual do elenco inteiro das maneiras mais absurdas possíveis. Rendeu uma continuação e um terceiro capitulo que foi direto para o VHS (cof cof…). Todo mundo já sabe o que eles fizeram no verão passado.

Lenda Urbana (1998)

Lenda Urbana

Aqui temos um Jared Leto que nem sonhava em ganhar um Oscar e atrizes de pouco renome na fita de 98 que desenterrou algumas lendas macabras da cultura dos antepassados. A arma do serial killer desta vez é um machado. O filme teve uma continuação pífia em 2000 e outras duas que foram diretamente para o vídeo ou para o inferno (como você desejar…).

Premonição (2000)

Premonicao

O filme aproveitou um argumento bastante inventivo e instigante para um filme de terror teen: e se você conseguisse enganar a morte por causa de uma premonição e ela viesse buscar as almas que conseguiram se safar? A partir de um roteiro criativo no inicio dos anos 2000 teve origem uma franquia milionária que garantiu 4 outras fitas ao longo dos anos. O primeiro capitulo traz a cena inaugural da explosão do avião que é de arrepiar. Ao invés de uma garota gatinha para conduzir a historia, o filme é contado sob a perspectiva de um personagem masculino, aqui interpretado por Devon Sawa. Junta-se a conturbada personagem de Ali Larter, Kerr Smith e Sean William Scott para fechar o rol de humanos na lista negra da morte.

Prova Final (1998)

Prova Final

Está longe de ser um filme interessante. Com uma trama sem pé nem cabeça sobre alienígenas em uma típica escola americana e um pano de fundo sobre jovens sendo manipulados para a dominação mundial dos aliens, este filme passou batido nos cinemas. Dirigido por Robert Rodriguez, o filme contou ainda com a participação de Elijah Wood, da “brasileira” Jordana Brewster e do sumido Josh Hartnett.

A Bruxa de Blair (1999)

A Bruxa de Blair

Foi um fenômeno interessante de se acompanhar, custou 22 mil dólares e arrecadou mais de 240 milhões de dólares (!). Jovens americanos decidiram criar a historia fictícia de uma bruxa que assombrava a floresta de Burketsville, em Maryland (EUA). Para averiguar a história, três jovens decidem filmar um documentário sobre a bruxa e acabam se dando mal ao entrarem na floresta. Os jovens somem e, posteriormente, a policia encontra o material de filmagem deles. O filme foi precursor desta modalidade de terror que atividade paranormal utiliza, “convencer” o público de que ele está assistindo filmagens reais de contatos sobrenaturais. Com um tom bem mais sombrio e sério que os filmes usuais de terror teen, A Bruxa de Blair continua assustadora e bastante eficiente até hoje. Gerou uma continuação incompreensiva que merece ser esquecida.