É hoje que a jornada final de Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) e seus amigos em Jogos Vorazes chega aos cinemas de todo o Brasil, e ela está cercada de expectativas! Afinal, para muita gente, trata-se da franquia de aventura mais influente da atualidade.

Desde que o fenômeno literário e hollywoodiano de Harry Potter tomou o mundo de assalto, os estúdios descobriram que era uma excelente ideia adaptar romances da linha jovens adultos para a telona.

Assim, nos anos seguintes, a fantasia arrecadou bilhões de dólares com o sucesso dos Crepúsculos, Maze Runners e Divergentes da vida. O lance é que, conforme a poeira começa a baixar, fica cada vez mais claro que, dessa safra mais recente, são os blockbusters estrelados por Jennifer Lawrence que ficarão marcados no imaginário popular.


Jogos Vorazes: A Esperança – O Final chega aos nossos cinemas dois dias antes de sua estreia nos Estados Unidos, num claro sinal do quanto o nosso mercado está em alta com os estúdios. Isso não é obra do acaso, claro, pois a parte I foi uma das maiores bilheterias de 2014 por aqui.

Mas um grande sucesso de bilheteria e o fato de dividir o último livro em que se inspira em duas partes no cinema não são as únicas coisas que Katniss Everdeen tem em comum com o bruxinho de J.K. Rowling. Tal qual Harry Potter, Katniss parece destinada a ser lembrada por um longo tempo.

Munida de seu icônico arco e flecha, sempre corajosa e disposta a ajudar seu distrito e todos os indefesos que passam em seu caminho, Katniss Everdeen se consagrou como uma das figuras femininas mais fortes da nossa cultura pop, um legítimo atestado do girl power.

Nesses tempos em que o feminismo anda super em alta, é mais do que bacana ver uma série de aventura e ação capitaneada por uma heroína de primeira! É bem verdade que ela não consegue se desligar de algumas convenções bobas cuidadosamente orquestradas para agradar meninas adolescentes, como o forçadíssimo triângulo amoroso que Katniss vive com Peeta e Gale, mas nem isso consegue diminuir a força de seu simbolismo.

A personagem criada pela autora Suzanne Collins é e vai ficar cada vez mais relevante conforme seus milhões de fãs passarem seu legado adiante para as próximas gerações. Uma geração de meninas e meninos dispostos a seguir o Tordo e tudo que ela representa. Uma verdadeira revolução cujos efeitos ainda serão sentidos por muitos anos.

Nós já assistimos o capítulo derradeiro de Jogos Vorazes (leia a crítica aqui) e achamos bem maneiro. E você, vai conferir o fim da saga nos cinemas já nesse final de semana? Como estão suas expectativas? Conta pra gente!