Macacos me mordam! Não é que o inimigo mais animal (literalmente!) de The Flash está de volta? Depois de estrelar alguns de nossos momentos favoritos da primeira temporada, o Gorila Grodd retornou arrebentando tudo no último episódio e mantendo The Flash em altíssimo nível.

Ou quase. Obviamente, depois daquele conflito explosivo contra Zoom, era de se imaginar que teríamos uma semana mais tranquila e focada na recuperação de Barry, paralisado após ter sua espinha fraturada pelo seu novo nêmesis.

O que se viu, no entanto, foi uma típica trama de The Flash, com muita ação e aventura (mas um pouco menos de comédia que o habitual, compreensivelmente), num agradável capítulo de meio da temporada.


Felizmente, a computação gráfica usada para dar vida ao Grodd manteve o bom padrão da primeira temporada, o que ajudou na imersão e em fazer o espectador sentir aquele senso de ameaça bacana.

Mas nem tudo foi perfeito nessa semana. Tudo bem que o movimento das pernas de Barry estava comprometido, mas isso não é desculpa para o desenrolar arrastado da trama sobre sua recuperação.

Entre várias idas e vindas de argumentos repetitivos sobre Barry precisar confiar em si mesmo para voltar a correr (quantas vezes o velocista escarlate precisa ouvir esse papo por episódio?), o mais estranho — e não intencionalmente hilário — foi acompanhar o “progresso” de sua caminhada.

Nos primeiros minutos deste episódio de The Flash, Barry está preso a uma cadeira de rodas. Ok. Depois ele passa para muletas. Certo. Então ele treina um pouco de cooper na esteira e… volta para a cadeira? Aí treina de novo na esteira?! E volta pra muleta. E pra esteira. Cadeira, Muleta. Esteira. Argh, decidam-se logo!

Mas focar muito tempo reclamando dessa continuidade estranha seria caçar pelo em ovo. A verdade é que essa leve inconveniência não chega perto de manchar a fórmula vencedora da série, que consegue segurar as pontas apenas com as interações entre seus personagens secundários.

Nessa semana, a Dra. Snow pôde passar um bom tempo em uma situação de risco tentando ajudar o gorilão, enquanto Cisco partia para seu primeiro encontro com Kendra Saunders que, como descobrimos em mais uma visão do Cisco, logo mais assumirá o uniforme de Mulher-Gavião.

A melhor trama secundária, no entanto, fica novamente para o Dr. Wells da Terra-2, que recebe a oportunidade de vestir o traje do Flash Reverso e, com isso, limpar um pouco do karma negativo deixado pela sua contraparte da Terra-1.

A impressão que fica é que só a Iris, tadinha, está sem ter o que fazer. Nem trabalhar no jornal ela parece estar fazendo mais! Tomara que, depois das férias de fim de ano, a personagem possa encontrar um pouco mais de ação e até drama com mais aparições de sua mãe.

Até lá, ainda teremos mais um promissor crossover com Arrow no dia primeiro de dezembro. Fica a torcida pra esse dia chegar… bom, correndo.

The Flash T02e07 - "Gorilla Warfare"