Atenção para spoilers da série a seguir!

Vamos aos fatos: Laurel Lance está morta em Arrow. Ou será que está? Nessa discussão entraremos um pouco depois, mas “Eleven Fifty-Nine”, o 18º episódio do quarto ano da série da CW, exibido nesta quarta (6), nos entregou algumas cenas devastadoras em que Laurel é apunhalada por Damien Darhk, que jurou ao pai de Laurel que mataria sua filha se um dia o antigo capitão o traísse. Ainda mais emocional foi a despedida da personagem, que teve alguns momentos para dizer adeus à Oliver e o restante do time.

Atriz fala sobre despedida da personagem


Além disso, há mais algumas coisas que você precisa saber sobre “Eleven Fifty-Nine”: nas sequências de flashbacks, vemos Oliver e Tatiana escapando do sacrifício pagão de Reiter e aparentemente o matando ao derrubar o peso de uma caverna em cima do vilão; Tatiana fez Oliver prometer ir até a Rússia falar com os pais dela e do irmão caso ela não sobrevivesse, e Oliver em troca fez Tatiana prometer entregar uma mensagem para Laurel se ele não saísse vivo da ilha; no presente, Andy Diggle traiu o time ao entregar uma pedra mística para Malcolm Merlyn, permitindo que ele recuperasse muitos de seus poderes e libertasse vários vilões da prisão Iron Heights.

Os críticos do Collider e do AVClub tiveram visões diferente sobre a morte da personagem de Katie Cassidy, e a forma como a série lidou com ela e com seus momentos finais. Para o primeiro, a jornada final da Canário Negro só mostrou que os roteiristas nunca tiveram muita ideia do que fazem com a personagem – ele citou que Laurel passou de namorada desconfiada à um desastre alcoolizado, passando por heroína em treinamento e finalmente emergindo como uma lutadora confiante (e uma advogada) na quarta temporada.

A morte de Laurel, para o jornalista, vem em um momento inconveniente e denota que as razões que consegue pensar para a escolha da personagem como o sacrifício da vez não são convincentes o bastante: era para ser só mais uma rachadura na armadura do time Arrow? Ou os roteiristas a eliminaram para deixar de lado qualquer possibilidade de triângulo amoroso entre ela, Felicity e Oliver? Alguns fãs do casal Olicity com certeza vão respirar aliviados que a Canário Negro, par romântico do Arqueiro nos quadrinhos, não está mais entre nós.

Enquanto isso, o escritor do AVClub notou que “Eleven Fifty-Nine” não se parece com um episódio realmente completo, porque deixa muitas pontas soltas para o espectador especular. Primeiro, ele citou o fato de que o médico do hospital onde Laurel estava internada informou os nossos heróis de que a heroína provavelmente iria ficar bem; segundo, o pedido misterioso de Laurel para Oliver logo antes de morrer. A câmera do diretor Rob Hardy corta rapidamente para outra cena assim que Laurel vai fazer o pedido para o ex-namorado, e logo em seguida vemos Laurel convulsionando e morrendo na cama do hospital.

O jornalista citou o conceito narrativo conhecido como “a arma de Chekhov”, que diz que qualquer coisa introduzida na trama precisa ter uma consequência direta nela, ou sua introdução não é justificada. Qual foi o pedido de Laurel para Oliver? Como a personagem mencionou algo sobre o seu uniforme, será que seria muito estranho pensar que seu pedido tinha a ver com algum amuleto ou mágica que a permita fingir sua morte? Tudo depende, é claro, dos próximos episódios, mas “Eleven Fifty-Nine” tem bons momentos próprios.

John Barrowman e Neal McDonough atuando juntos como os vilões principais da série no momento são sempre um prazer de assistir, e a reação de Quentin Lance quando fica sabendo da morte da filha é um momento emocional arrasador para qualquer espectador. Enquanto isso, Diggle entregou um ultimato para Oliver que é um dos diálogos mais bem escritos da série em muito tempo.

O valor total de “Eleven Fifty-Nine”, no entanto, só vamos saber quando descobrirmos as consequências de tudo o que aconteceu aqui.

Produtor justifica morte de personagem no último episódio

Após episódio chocante, Diggle cruza a linha no novo trailer da série