A Marvel tem um problema de vilões – e sabemos como consertar

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma reclamação é unânime entre os fãs do universo cinematográfico da Marvel: os seus vilões não são nem metade tão ameaçadores e marcantes quanto poderiam ser. Com a honrosa exceção de Loki, quase nenhum dos malignos antagonistas do estúdio fizeram uma marca definitiva.

Como só estamos aqui para ajudar, identificamos cinco problemas facilmente consertáveis com os vilões da Marvel, e queremos saber se vocês concordam com a gente – é assim que a editora conseguiria reparar seu problema mais grave?

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Lee Pace em Guardiões da Galáxia

1) Não enterre seu ator em maquiagem

Christopher Eccleston e Lee Pace são dois atores incríveis que estiveram em filmes da Marvel, mas você talvez nem tenha percebido. Eccleston fez o vilão Malekith em Thor: O Mundo Sombrio (2013), enquanto Pace fez Ronan o Acusador em Guardiões da Galáxia (2014).

Cheios de maquiagem e CGI, esses intérpretes fascinantes não tiveram chance de mostrar suas habilidades e nos envolver com os vilões de verdade. Ao contrário de Loki, que é feito com malícia deliciosa por Tom Hiddleston.

Mickey Rourke em Homem de Ferro 2

2) Dedique tempo ao seu vilão

Enquanto a Marvel tem o costume de desenvolver o arco de seus heróis em múltiplos filmes, os vilões geralmente são confinados a só uma aventura, e é difícil se importar com um personagem maligno e genérico que você sabe que estará morto no final do filme.

Nebula em Guardiões da Galáxia

3) Diversidade ajuda

Não é só no campo dos heróis que falta diversidade à Marvel – todos os vilões principais até agora foram caras brancos (ou pelo menos humanoides masculinos), e apenas alguns antagonistas de menor importância foram dados para atrizes ou atores não-caucasianos.

Não é como se os caras brancos estivessem arrasando, então não custa diversificar! Quem sabe a Hela de Cate Blanchett em Thor: Ragnarok não ajuda nisso.

Guy Pearce em Homem de Ferro 3

4) Faça-os compreensíveis

Escute, Marvel: nós não concordamos com os métodos de Magneto ou com os planos de Loki, mas entendemos de onde eles estão vindo. Entendemos a infância trágica de ambos, o ódio que se acumulou por uma família (ou uma sociedade) que os ignora.

Ninguém se importa com um vilão que quer vingança, ou o colapso da civilização por nenhum motivo interessante. Mais Barão Zemo, cuja história é de fato crível, e menos Aldrich Killian.

Thanos
 e sua Manopla do Infinito

5) E Thanos?

É claro que estamos animados com a introdução definitiva de Thanos em Vingadores 3 e 4 (anteriormente intitulados Guerra do Infinito), mas já vimos que o personagem é um amontoado de CGI e que Josh Brolin terá que fazer milagres para conseguir atuar ao redor disso.

Os Irmãos Russo são talentosos, mas conseguem nos envolver na história de um gigante alienígena buscando pedras mágicas que alteram a realidade? Só esperando para saber.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio