Publicidade

The Walking Dead desacelera e Ezekiel estreia com estilo no segundo episódio

Publicado por Caio Coletti

31/10/2016 00:13

ATENÇÃO PARA SPOILERS DA SÉRIE A SEGUIR!

Após todo o choque do primeiro episódio da temporada, The Walking Dead pegou relativamente leve com o espectador em seu segundo capítulo, “The Well” (7×02). No começo, vemos Carol lentamente acordando para encontrar uma cena caótica: Morgan e homens do Reino lutando lado a lado contra zumbis. Após um tempo, Carol fica inconsciente novamente.

Quando ela acorda novamente, estamos no Reino, e vamos conhecer Ezekiel. Morgan diz que Carol ainda tem uma semana, pelo menos, até se recuperar – parece que The Walking Dead vai manter esses dois personagens por perto do Reino por enquanto, o que não é algo ruim, levando em conta que Khary Payton está espetacularmente divertido como Ezekiel. Do sotaque excêntrico a sua relação com Shiva, tudo aqui cria uma sensação de coisas novas e interessantes acontecendo que há muito não víamos em The Walking Dead.

Quem está menos que feliz com o Reino, no entanto, é Carol. Assim que ela tem um tempo sozinha com Morgan, garante para ele que vai fugir assim que estiver recuperada e ninguém estiver olhando. Enquanto isso, Morgan se mistura com o povo da comunidade e é designado por Ezekiel para ensinar suas habilidades com o bastão para um jovem chamado Ben, que quase é morto por um zumbi na segunda cena de ação sem vítimas fatais de The Walking Dead nessa semana.

The Walking Dead, "The Well" (7x02)
The Walking Dead, “The Well” (7×02)

Negan não está longe

A ameaça de Negan ainda paira sobre The Walking Dead neste segundo episódio, no entanto. Em certo momento, Morgan é levado por Ezekiel para o local onde a comunidade do Reino sacrifica os porcos que usam para se alimentarem. É quando chegam os Salvadores, capangas de Negan, e Ezekiel revela que também paga um “imposto” para que Negan se mantenha longe de suas terra. Pode não parecer, mas mesmo em um episódio relativamente pacífico, a ameaça e a futura união de comunidades contra Negan está aos poucos acontecendo.

A cena em que os Salvadores aparecem, aliás, fica tensa quando uma discussão leva a um confronto físico entre um de seus líderes (Gavin) e um membro da comunidade do Reino. Ezekiel diz saber que Morgan já matou um dos Salvadores. Mais tarde, no Reino, podemos ter uma ideia de como está a mentalidade de Morgan nesse momento, uma vez que ele conversa com Ben e diz estar duvidando sua filosofia de não matar – The Walking Dead é cruel, mas quebrar seu único pacifista dói mais fundo do que muitas mortes.

Mais cedo, vemos Carol roubando alguns mantimentos, uma faca e algumas roupas após se fingir de simpática para um morador do Reino, e quanto Morgan a procura mais tarde, ela não está mais lá – os desejos suicidas da personagem de The Walking Dead provavelmente vão continuar assombrando sua história, especialmente se ela conseguir sair do Reino como deseja. Só mesmo o talento de Melissa McBride para vender essa “virada” de personagem.

“The Well” serviu para os fãs de The Walking Dead “desacelerarem” um pouco após o intenso e traumático episódio de estreia, mas também trouxe muitas possibilidades interessantes e nos deu uma dose generosa de desenvolvimento para dois dos personagens mais interessantes da série. Será bacana ver como a série da AMC vai estabeleceu seu ritmo daqui para frente.

Publicidade