Vingadores: Guerra Infinita | Conheça a origem das Joias do Infinito nos quadrinhos

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como nasceram as Jóias do Infinito da Marvel? As jóias cósmicas moldaram o MCU, o Universo Cinematográfico Marvel, de bilhões de dólares, e são regularmente mencionadas ao lado de Thanos, o maior vilão que a Marvel tem a oferecer. Vingadores: Guerra Infinita mostrará o Titã Louco tentando reuni-las para se tornar a maior ameaça da galáxia e tudo aponta para uma história diferente dos quadrinhos.

Se você é fã do MCU, se surpreenda com a origem dos artefatos mais poderosos do universo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A primeira aparição dos objetos veio com o herói Adam Warlock, criado para ser o perfeito humano evoluído, e recebeu o presente de um objeto chamado Gema da Alma, colocada em sua testa. Mais tarde foi revelado que a Gema era uma de um conjunto de seis Gemas, que ganharam a atenção de (isso mesmo) Thanos! O Titã que se imaginava um conquistador cósmico! Seu plano era combinar todo o poder das Gemas em uma única SUPER Gema, capaz de destruir planetas inteiros.

Thanos foi derrotado no final, mas tanto o impacto do vilão quanto as Gemas despertaram a imaginação do escritor Jim Starlin e do artista Ron Lim. E assim, Thanos recebeu uma nova missão, e as Gemas se tornaram ainda mais importantes.

O verdadeiro começo da história das Jóias do Infinito, na qual elas realmente são as forças combinadas do Tempo, Espaço, Poder, Realidade, Mente e Alma, na verdade começa na série de duas partes de 1990, Em Busca do Poder. O quadrinho também é responsável por montar a versão do Thanos que continuaria pelas próximas décadas. Ressuscitado pela própria Morte e imbuída de força e resistência sobre-humana. A personificação da Morte no Universo da Marvel deu a Thanos uma missão. Na verdade, é exatamente a mesma missão que Thanos tem no filme Vingadores Guerra Infinita. A missão é reequilibrar o universo extinguindo metade de toda a vida.

Mas Thanos tem um segredo que ele decide não compartilhar com sua benfeitora e grande amor, a Morte. Ele agora sabe que as Gemas da Alma são incompreendidas, e capazes de ter um poder inigualável no Universo Marvel … graças ao ser cósmico que, sem querer, as criou.

Thanos olha para algo chamado O Poço Infinito, e basicamente aprende a verdadeira natureza das Joias. Não apenas de onde eles vieram, mas o fato de que eles são realmente chamadas Joias do Infinito, e apenas um delas é a Gema da Alma. Thanos também percebe seu verdadeiro poder ao adquirir todas as seis, o que é agora possível com os poderes extras que a Morte deu a ele, o que o tornaria um deus ainda mais poderoso que a morte, na verdade, já que o controle sobre a vida e a Morte é apenas um dos seis poderes que ele teria.

Thanos mantém este plano em segredo da Morte (explicando seu romance tenso e não correspondido), mas faz tudo para melhor executar o assassinato em massa que ela exige. O que ele não diz é como as Jóias Infinitas foram criadas, ou por quem. Felizmente, esses segredos são explicados ao leitor.

Os fãs de quadrinhos sabem que existem muitas armas cósmicas ou artefatos místicos no Universo da Marvel, e tantos seres onipotentes capazes de produzi-los e empunhá-los. Mas as Jóias do Infinito representam algo verdadeiramente todo-poderoso, que veio antes de todo o Universo Marvel, e do qual veio todo o resto dentro dele. Como Thanos aprende com o Poço Infinito, havia, no começo, uma única forma de vida cósmica. Existindo além de toda realidade e limitações, era um Ser Supremo sem igual ou nome. Thanos sugere que poderia ser chamado de Deus, como no Deus monoteísta das religiões do mundo real, mas apesar de todo o seu poder, estava sozinho. E, portanto, foi solitário.

Decidir que uma existência tão solitária não valeria a pena, o que é um bom vislumbre da própria psique de Thanos, o ser supremo acabou com sua própria vida. Aniquilando-se, a energia, o poder e a vida que possuía irromperam em tudo o que existe em todo o universo Marvel. Mas a essência de seu domínio sobre a realidade era forte demais para ser liberada. E assim, os elementos mais poderosos possíveis foram condensados ​​em gemas, concedendo àquele que possuía cada uma delas seus respectivos poderes, cada uma com um aspecto do infinito:

A Joia do Tempo: Com ela, volte ao passado primordial ou mergulhe no futuro distante. O infinito é argila esperando para ser moldada.

A Joia do Espaço: A distância se torna um mero conceito intelectual. Considere a possibilidade e você está lá, em todos os lugares ou em nenhum lugar.

A Joia da Mente: Nenhum pensamento permanecerá em segredo. Estenda a mão e sinta os sonhos e aspirações de todos os seres vivos. Um universo de escravos.

A Joia do Poder: Apoia o poder dos outros cinco. Ele tira força dos fins do infinito. Permite que se torne realidade. A cola que mantém o que está no lugar.

A Joia da Alma: Com isso, o cerne do que a vida é pode ser torcido e dobrado. Transforma os pecadores em santos e santos em monstros. E os mortos, suas almas também estão dentro do seu controle.

A Joia da Realidade: Como se pode explicar o inconcebível? Os fatos perdem seu significado porque não precisam mais ser. Sonhe, e será.

Isso explica por que possuir uma Joia do Infinito, ou todas, é tão perigoso. Por conta própria, elas fornecem um vislumbre de seu poder sobre o tecido do universo. Mas à medida que se unem, reforçando os efeitos uns dos outros, chegam cada vez mais perto do poder total e do controle sobre toda a Criação.

Talvez não seja o que essa solidão original pretendia, mas elas são uma receita para algumas aventuras cósmicas emocionantes, e agora um longa que une o universo Marvel em Vingadores: Guerra Infinita.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio