Há exatos 20 anos, em 1998, chegava aos cinemas Blade: O Caçador da Vampiros. Estrelado por Wesley Snipes, o filme foi a primeira grande adaptação para o cinema de um personagem inspirado nos quadrinhos da Marvel – poucos anos antes dos X-Men e do Homem-Aranha encantarem pessoas de todas as idades. Sim, a Marvel havia lançado longas-metragens inspirados em seus personagens em anos anteriores no cinema e na TV, com O Quarteto Fantástico (1994) e Howard, o Super-herói (1986), mas Blade foi o primeiro caso de uma obra que conseguiu de fato fazer sucesso.

O lançamento de Blade ocorreu em uma época na qual a Marvel passava por dificuldades. A empresa havia acabado de se tornar a Marvel Enterprises e estava passando por mudanças na forma como gerenciava seus quadrinhos. Havia um projeto de lançar filmes de seus heróis e assim vender mais brinquedos, mas os quadrinhos eram a preocupação principal naquele momento. A Marvel estava apostando em personagens menos conhecidos e chegou a contratar editores de quadrinhos indies para cuidar de alguns de seus títulos. A editora buscava dar a eles novas roupagens que atraíssem o público da época, e ao mesmo tempo, lançava nos cinemas Blade: O Caçador de Vampiros.


Blade foi criado em 1973 pela dupla Marv Wolfman e Gene Colan como um coadjuvante dos quadrinhos Tomb of Dracula. Na época, suas características marcantes eram sua jaqueta verde e seu cabelo blackpower. Ele nunca chegou a ser um personagem de primeiro escalão nos quadrinhos e após a conclusão de Tomb of Dracula, ele apareceu poucas vezes nas histórias da Marvel. Estrelar um filme foi algo que mudou a imagem de Blade para sempre.

O caminho do caçador de vampiros nos cinemas, entretanto, não foi fácil. Um projeto para o filme do personagem estava com a Marvel desde 1992 e atores como Denzel Washington e Laurence Fishburne chegaram a ser cogitados para o papel que acabou ficando com Snipes. David S. Goyer, desconhecido na época, foi quem escreveu o roteiro do longa, apostando na figura de uma anti-herói apaixonado pelo que faz no momento de construir a figura de Blade – o sucesso do filme fez com que ele mais tarde ficasse conhecido por trabalhar em adaptações de histórias em quadrinhos, tendo trabalhado em O Homem de Aço e Batman vs Superman.

O longa se afastou um pouco da origem do personagem nos quadrinhos e isso ajudou na popularidade de Blade. Enquanto alguns brigam por fidelidade do material original, Goyer e o diretor Stephen Norrington queriam liberdade na hora de criar Blade, algo que contribuiu para as mudanças na imagem do personagem e na transformação de uma figura desconhecida, em um herói capaz de estrelar sua própria série.

Blade: O Caçador de Vampiros trouxe um novo frescor para o personagem e para os filmes de heróis, principalmente por ter chegado aos cinemas um ano depois do desastroso Batman e Robin, e por ter apostado em uma violência incomum para a época. Foi uma verdadeira revolução para o gênero de super-heróis, em termos estéticos, com o uso de efeitos CGI e um abandono do caráter mais estilístico dos filmes do Batman, e narrativo, pois se focava em uma história relativamente simples, em que Blade caça o vilão Nick Frost ao longo da história. Apesar de mostrar um universo de vampiros e seres místicos, Blade parecia realista o bastante para que o público acreditasse que aquele personagem vivia naquela época, naqueles anos 90. A edição, que era similar ao de videoclipes da TV, ajudou neste aspecto do filme.

Ao longo dos anos, foi possível notar a influência de Blade em outras produções que misturavam ação e elementos de terror, como a série Anjos da Noite e as adaptações de Resident Evil. Claro, o filme ainda abriu caminho para outras adaptações cinematográficas da Marvel, como foi o primeiro filme dos X-Men, lançado apenas 2 anos depois do lançamento de Blade: O caçador de vampiros.

O destaque de Blade na época, entretanto, não fez com que o personagem fosse bem aproveitado pela Marvel nos anos que se sucederam. É verdade que o longa teve duas sequências: o ótimo Blade II de Guillermo del Toro, e Blade Trinity, que acabou sendo prejudicado pelos diversos personagens que tentou inserir. Ainda assim, a Marvel nunca mais deu atenção ao herói.

Blade teve poucas histórias próprias nos quadrinhos ao longo dos últimos anos e mesmo com o sucesso que os heróis da Marvel fazem atualmente nas diversas mídias, a empresa não parece ter planos de usa-lo imediatamente, seja junto de heróis como os Vingadores, seja em séries de TV, como é o caso do Demolidor na Netflix. Trata-se de uma falta de visão da própria Marvel, que não deveria deixar um de seus personagens mais famosos em segundo plano. É verdade que Blade talvez não tenha a mesma glória que teve no passado, mas ainda assim, ele possui fãs que querem ver o retorno do caçador de vampiros, seja com uma série, seja com um filme próprio. Com o aniversário de 20 anos do filme do personagem, talvez seja hora de voltar a investir em Blade.