Produzido pela O2 Filmes e transmitida pelo Universal Channel, Amigo de Aluguel é uma série de comédia estrelada por Felipe Abib (Vai Que Dá Certo 2) que interpreta Fred, um ator que, por ironia do destino, tem pavor de subir aos palcos. Devido a esta fobia Fred encontra-se desempregado e morando com seu amigo Jun Ho (Thiago Amaral). Além de não ter dinheiro para si, ele também não consegue ajudar sua ex-esposa a cuidar do filho de 9 anos. Por conta do desespero do dinheiro, Fred aceita um trabalho inusitado e se torna um “Amigo de Aluguel”.

Como costumam dizer, a necessidade faz a oportunidade e foi por conta desse pensamento que Fred se tornou o “ator da vida real”. Tudo começa quando Sara (Luciana Paes) que é ex-agente de Fred, pede para que ele finja ser o namorado de sua prima Hannah no casamento do ex-noivo. Relutante no começo, Fred acaba aceitando passar pelo papel de namorado. A ideia que parecia ser pontual, é bem-sucedida e Sara percebe de forma rápida que tornar Fred um amigo de aluguel atendendo necessidades da vida real é uma ótima forma de ganhar dinheiro. Assim, Fred, por intermédio de Sara que volta a ser sua agente, assume o papel de qualquer coisa que seus clientes queiram.

Com duração de cerca de 30 minutos por episódio, Amigo de Aluguel usufrui de duas formas de estruturas de séries. A primeira é a chamada séries procedurais, na qual a missão do dia se encerra no próprio episódio. Já a outra é intitulada de serializadas, que acontece quando um tema é desenvolvido durante toda a temporada – como o fato de Fred precisar lidar com a criação de seu filho e com a recente separação. Todas essas características são perceptíveis logo no primeiro episódio.


Por se tratar de um formato de curta duração, o roteiro não demora a acontecer, ele é dinâmico e prático. Outro fato que faz com que o público sinta essa fluidez do roteiro é a entrada de personagens novos a cada episódio. Essa estratégia ajuda, inclusive, o aumento de possibilidade no universo da série, afinal, os clientes são os mais diversos e precisam que Fred interprete de tudo. Além disso, as situações diferentes de cada episódio conseguem, não somente auxiliam no riso, mas o roteiro aproveita de certas ocasiões para criticar por muitas vezes, de forma leve, algumas questões sociais.

Felipe Abib está nitidamente confortável ao dar vida à protagonista. O ator consegue demonstrar seu alcance humorístico sem precisar fazer piadas de forma constante. Por interpretar 2 personagens em cada episódio (Fred e o amigo de aluguel do dia) é exigido do ator mais versatilidade – algo que é entregue. Conseguimos diferenciar Fred dos amigos de aluguéis e, para além disso, não há semelhanças entre as diversas personalidades que o ator precisa interpretar, já que a cada episódio ele precisa ser um amigo de aluguel distinto.

Dirigida por, Luiz Pinheiro, Max Calligaris e Dainara Toffoli – que também é autora do projeto, a série faz uso de várias referências, isso torno o produto mais rico na narrativa e no visual. No primeiro episódio por exemplo, Fred ao se relacionar e brincar com seu filho cita vários nomes de Star Wars; Jun Ho, melhor amigo de Fred, por ter sido criado por uma coreana traz em seu ambiente vários itens da cultura oriental; E a própria diversificação de papéis que Fred precisa interpretar por ser um amigo de aluguel aumenta as referências – como no primeiro episódio que vai a um casamento judeu. Toda essa expansão é feita de forma organizada, os figurinos e as ambientações da série estão de acordo com o caminhar da narrativa, não há estranhamento. Existe, na verdade, até um exagero em caracterizar – aliás, exagero é característica de Fred. A direção de arte foi cuidadosa com todos os detalhes.

Com estreia no dia 26 de agosto, a primeira temporada da série conta com 5 episódios. Como já citado, no primeiro Fred finge ser o namorado de alguém. Já no segundo episódio ele precisa fazer o papel do filho de um dono de rede de hotel que quer expandir os seus negócios e precisa de alguém da família para ajudar na missão, mas por mais que tenha dois filhos – verdadeiros – estes não ajudam. O episódio segue a mesma estrutura vista no primeiro, porém consegue ser mais dinâmico ainda que o primeiro, por já conhecermos os personagens principais é possível ir direto ao ponto sem ficar explicando o que já foi apresentado.

Por fim, Amigo de Aluguel é uma série de comédia que agrada – e muito – o público. A somatória de um bom elenco, um ótimo roteiro e uma direção cuidadosa faz com que tudo funcione na série. Para alegria de quem escreve, já temos a confirmação de um segundo ano, também com cinco capítulos, que chegará ao canal no primeiro semestre de 2019.

Amigo de Aluguel