Durante todo o marketing de Vingadores: Ultimato (e também em 80% de Guerra Infinita) o Hulk ficou escondido. Apenas a forma humana do Bruce Banner de Mark Ruffalo se destacava no material promocional, levando a indícios de que algo de especial estava sendo preparado para o Gigante Esmeralda da Marvel. E de fato estava, com o novo filme nos trazendo a versão inteligente do herói conhecida como Professor Hulk nos quadrinhos.

É interessante porque a Marvel conseguiu uma forma de deixar o Hulk diferente em cada um de seus filmes. Em O Incrível Hulk, ainda estávamos na fórmula do fugitivo e do Hulk aparecendo em momentos de raiva do protagonista, onde era mesmo uma questão de descontrole. O primeiro Vingadores enfim introduziu a ideia de Banner usar o Hulk de forma controlada na Batalha de Nova York, e até trouxe pitadas de humor com o personagem.

Era de Ultron passou a estabelecer a relação do Hulk com a Viúva Negra, que descobriu uma forma de acalmá-lo e fazê-lo se transformar de volta para Banner através de uma “canção de ninar”. Thor: Ragnarok mostrou Hulk assumindo o controle, e deixando Banner “preso”, deixando espaço para que o gigante se tornasse um gladiador falante. Em Guerra Infinita, ele sumiu de vergonha, e Vingadores: Ultimato finalmente trouxe Banner assumindo o controle por completo, sendo capaz de falar, pensar e raciocinar no corpo de Hulk.


Em 11 anos, o Hulk teve uma jornada interessante e multifacetada pelo MCU, o que nos leva à questão do que vem a seguir. O Professor Hulk de Vingadores: Ultimato parece ser a culminação definitiva do arco do personagem, afinal Banner está a anos nessa condição, e parece extremamente satisfeito consigo mesmo, então acho improvável que vejamos um retorno do Hulk bestial ao universo da Marvel. Uma das opções que Kevin Feige e os roteiristas envolvidos no Universo Cinematográfico da Marvel é recorrer à diferentes encarnações do personagem nos quadrinhos, talvez até recorrendo ao recurso do multiverso – que deve ser apresentado com o Mysterio em Homem-Aranha: Longe de Casa.

Os Hulks de outras vidas

Nos quadrinhos, o Hulk já passou por diversas fases interessantes. Uma que vem à mente é a do Maestro, uma versão de Banner que acabou enlouquecido pela radiação gama, e que se tornou um ditador tirano no futuro – visto na HQ “Futuro Imperfeito”. É difícil pegar um personagem tão adorado e transformá-lo em vilão, mas a imprevisibilidade da radiação é algo que possibilita essa virada radical na história, e renderia um formidável oponente na forma de um Hulk inteligente, mas psicótico. E se a Marvel Studios não quiser transformar Ruffalo em vilão, há sempre o multiverso: o Maestro foi um Hulk criado em um futuro alternativo, e que acabou sendo derrotado por uma versão do passado de si mesmo.

Mais brincadeiras com o destino do personagem também poderiam para o sobrenatural. Em uma HQ do personagem, Hulk e Banner tiveram seus corpos divididos por magia, mas o verdão acabou sendo enviado para o inferno – um conceito que o MCU ainda precisa apresentar. Eis que o Hulk Infernal retorna para tentar matar Bruce, rendendo um bom confronto. E caso Kevin Feige queira brincar com a série de Marvel Zombies (que eu vejo acontecendo com tranquilidade na Disney+), há sempre a versão zumbi do Hulk para dar trabalho.

Porém, a possibilidade mais provável é que fiquemos com o Professor Hulk de Vingadores: Ultimato pelo futuro. Em uma rodada de perguntas e respostas no Reddit, Kevin Feige disse que Mark Ruffalo sempre trouxe ideias suas para o personagem, e que há algumas que ele espera aproveitar para futuros filmes. O que Ruffalo teria na manga para o Hulk? Será que seria muita loucura pensar em um Professor Hulk reverso? Onde temos o corpo humano de Bruce Banner, mas a mentalidade bestial do Hulk? Não dá pra negar que seria interessante, além de garantir um bom material para o ator.

O futuro do Hulk na Marvel Studios ainda não definido, até mesmo por que o personagem não pode aparecer em filmes solo – visto que compartilha de direitos autorais com a Universal Studios, limitando-se a participações em outros filmes. Seja lá o que vier, estamos de braços abertos para novas interpretações do personagem, ainda mais se Mark Ruffalo continuar trazendo boas ideias.

Só nunca tragam de volta os cachorros-hulk, aí estamos satisfeitos.