Como a maioria das grandes produções modernas, Vingadores: Ultimato conta com efeitos visuais de última geração. Especialmente considerando tudo o que o filme dos irmãos Joe e Anthony Russo apresenta, que incluem mais de 30 personagens com superpoderes e diversas criações digitais.

Em entrevista exclusiva para o Movieweb, o supervisor de efeitos visuais da Weta, Matt Aitken, falou sobre alguns pontos de seu trabalho no gigantesco filme da Marvel Studios.

Destruição da Base dos Vingadores

Um dos detalhes elaborados pelo supervisor ficou com a criação do cenário digital onde a batalha climática do filme acontece – após Thanos viajar no tempo e destruir a Base dos Vingadores em Nova York.


“É interessante, com esse, o ambiente passou por uma grande mudança depois de termos filmados as chapas pra batalha. Então a batalha final acabou sendo filmada, em maioria, em um grande bloco de refilmagens que aconteceu de setembro a outubro de 2018, nos estúdios Pinewood em Atlanta, Georgia, e eles gravavam em sets diferentes com diferentes unidades rodando ao mesmo tempo. Temos o lote dos Vingadores, que fica sobre o Rio Hudson, no interior de Nova York”, explica.

“Então o ambiente acabou sendo uma combinação de cenário destruído que foi construído, com um pouco de terra, destroços e pedaços de prédios, mas também algumas árvores destruídas e queimadas. Mas quando foi montado e editado no primeiro corte com efeitos de pré-visualização, aqueles adereços e árvores se tornaram mais prevalentes do que antecipamos originalmente”, revela.

“Isso porque no roteiro parecia que eles lutavam nas ruínas de uma floresta bombardeada, ao invés das ruínas da base dos Vingadores. Então para muitas cenas, acabamos fazendo rotoscopia com os personagens foram do ambiente e substituindo-o com uma cratera criada digitalmente”, explica.


Avante, Vingadores!

O maior momento de Vingadores: Ultimato é certamente quando todo os exércitos e Vingadores se reúnem antes da grande batalha com Thanos. Matt Aitken então falou especificamente sobre essa sequência, enfatizando a criação dos portais que reuniram todos os personagens e também sobre o número de exércitos e personagens na cena.

“Há outro exemplo, porém, que é uma tomada do portal de Titã. Nós só vemos Titã com clareza em uma das tomadas de portal, mas é uma tomada chave porque temos Drax, Mantis e Strange, aí vemos o Quill aparecer, e todos esperam pelo Homem-Aranha, porque todos ficaram devastados em vê-lo morrer em Guerra Infinita. Eu havia antecipado como issos seria, e fui ver o filme com um público, e a cena parece mais completa assim”, diz Aitken sobre o retorno dos dizimados.

E quantos exércitos temos ali?

“Eu não cheguei a contar, mas posso listar pra você. Tem Wakanda, com certeza. Nova Asgard, que é onde Thor e Valquíria acabaram indo parar, na Noruega. Temos Kamar-Taj, todos os feiticeiros vêm de Kamar-Taj. Temos Contraxia, que é de onde os Saqueadores vêm”, lista.

“Nós até temos os Saqueadores chegando por ciclos no céu, como se fosse um ambiente espacial. Então tivemos um desses céus coloridos e clássicos do MCU, e campos de estrelas que nossa equipe desenvolveu. Então, quantos são… Seis ou sete, eu acho”, conta.

O resultado certamente fez valer a pena, e rendeu um dos momentos mais inesquecíveis do cinema Blockbuster em 2019.

Vingadores: Ultimato está em exibição nos cinemas.