Quando Friends chegou na Netflix em 2017, as redes sociais pipocaram com debates e discussões sobre alguns aspectos da comédia analisados sob uma perspectiva mais moderna.

Muitos espectadores mais novos criticaram piadas que envolviam mulheres ou pessoas LGBTQ. Além disso, alguns episódios foram acusados de gordofobia.

É inevitável que uma série de mais de 25 anos contaria com algumas visões antiquadas. Mesmo assim, elenco e equipe de produção responderam algumas dessas críticas.


Falta de Diversidade

A ausência de diversidade em uma série que se passa em Nova York causou polêmica em exibições mais recentes da comédia.

Todos os protagonistas (e praticamente todos os coadjuvantes) da série são brancos e héteros.

“Até mesmo na época de sua exibição, pessoas apontavam que Friends não mostrava a diversidade de Manhattan no mundo real”, afirmou a atriz Aisha Tyler, que interpretou Charlie na série.

Aparentemente, a possibilidade de um elenco mais diverso foi levantada no início da série. Porém, segundo a executiva Karey Burke, os criadores Marta Kauffman e David Crane foram contra a ideia por terem desenvolvido o roteiro com pessoas específicas em mente.

Cosimo Fusco, que interpretou Paolo, o ex-namorado italiano de Rachel, também afirmou que a caracterização de seu personagem foi desrespeitosa, e disse que se a série fosse produzida na atualidade “pelo menos um dos 6 protagonistas deveria ser negro”.

Questões LGBTQ

Além de questões raciais, Friends foi criticada pela maneira como trata seus personagens LGBTQs. Algumas piadas foram consideradas homofóbicas e transfóbicas.

A caracterização de um dos pais de Chandler. O progenitor do personagem se assume trans e adota do nome de Helena, sendo interpretada pela atriz Kathleen Turner.

Além de ser uma personagem trans interpretada por uma atriz cis, a identidade de gêneros de Helena também é confusa. A série parece variar entre caracterizá-la como trans ou como uma drag queen, duas coisas bem diferentes.

A própria Kathleen Turner afirmou, em entrevista à revista Gay Times, que a personagem não “envelheceu bem”.

Martha Kauffman, a criadora da série, justificou a trama de Helena em entrevista ao USA Today.

“Acho que não época nos não tínhamos conhecimento sobre pessoas trans, então não sei se usamos os termos apropriados”, afirmou a produtora.

Mea Culpa

Com o tempo, o elenco e equipe de produção de Friends passaram a reconhecer os problemas com alguns aspectos da série.

Em uma aparição na premiação BAFTA, David Schwimmer, o Ross, ironizou a falta de diversidade da série, afirmando que “era um show inovador onde metade do elenco eram mulheres”.

Infelizmente, com o decorrer das décadas, séries como Friends tem seus erros apontados. Isso não significa, no entanto, que a série é ruim. Apenas que foi produzida em uma época completamente diferente.