Tessa Thompson e Chris Hemsworth foram colocados juntos em Thor: Ragnarok e revitalizaram a franquia graças à direção de Taika Waititi e a Sony claramente esperava fazer o mesmo com MIB: Homens de Preto Internacional.

Infelizmente, o resultado não foi o mesmo e o filme amarga 26% de aprovação no Rotten Tomatoes, com uma nota média de 4,52 e um total de 147 críticas levadas em conta.

Mas só números não importam, o que vale é o que os críticos estão dizendo sobre o filme. Confira abaixo alguns trechos dos textos publicados sobre o filme.


Hemsworth e Thompson tentam salvar o filme

“O jeito modesto de Hemsworth faz bem ao personagem e ele e Thompson se alfinetam como gatos brincando de luta. Mas a rivalidade enérgica dos dois, embora charmosa, é similarmente sem foco. Além disso, Homens de Preto – Internacional raramente fica parado o suficiente para a audiência realmente aproveitar a química entre os dois” – AV Club.

“Thompson e Hemsworth fazem o melhor para melhorar o fraco material apresentado a eles. O filme tenta ser descontraído, com toque de improvisação, mas também precisa seguir os moldes de uma história de mistério e ficção científica. Ele acaba ficando no meio, em um lugar estranho, em que as piadas não se adequam à ação com alienígenas. Eu amaria ver Thompson e Hemsworth juntos em outra coisa, sem ser Thor; um projeto que não faça eles tentarem se distinguirem em meio à legados de outras pessoas” – Vanity Fair.

“[Thompson] pode ser a herdeira natural ao apelo de [Will] Smith. Há charme e intriga o suficiente nesses trechos iniciais para justificar um filme sobre a missão de Molly, mas assim que ela encontra a base da MIB, com estranha facilidade, é o mesmo de sempre” – IndieWire.

“Thompson ainda é uma alegria de se ver, fazendo diálogos rasos como ‘eu não tenho cachorros, gatos e emoção’ funcionarem a seu favor” – Refinery29.

Mas não conseguem

“Thor: Ragnarok mostrou que ela e Hemsworth têm grande química em tela e os tolos roteiristas Matt Holloway e Art Marcum falham em dar a eles a plataforma para brilhar” – Little White Lies.

“A história frenética, combinada com direção em modo automático de F. Gary Gray (que já foi um empolgante cineasta que traz pouco dele para esse filme, assim como ele fez em Velozes e Furiosos 8), oculta qualquer química natural entre Hemsworth e Thompson” – The Atlantic.

“Não é que esse filme tenha esquecido o charme descompromissado dos filmes de MIB originais; é que ele não sabe como conjurar isso de novo, ele confunde o tom leve com ser irrelevante” – Vulture.

Dito isso, parece ser unanimidadeque a equipe por trás de MIB: Homens de Preto – Internacional tinha muito a seu favor. Chris Hemsworth e Tessa Thompson poderiam ter entregado um filme memorável, mas não tinham muito com o que trabalhar.

O resultado é um filme raso, esquecível, que definitivamente não chega aos pés do original.

MIB: Homens de Preto – Internacional já está em exibição nos cinemas.