Jessica Jones vai enfrentar um tipo diferente de vilão na terceira temporada da série da Netflix – um assassino em série insano tirado direto dos quadrinhos, o Foolkiller (Matador/ Matador de Idiotas nas traduções oficiais dos quadrinhos). Mas será que isso vai redimir a série, que se perdeu na segunda temporada?

A temporada inaugural de Jessica Jones foi uma das melhores da Marvel/ Netflix, principalmente por causa da dinâmica entre a protagonista de Krysten Ritter e seu nêmesis, o Kilgrave de David Tennant. A série esbanjava o tenso drama psicológico, aproveitando-se da habilidade do vilão em controlar a mente dos outros.

No segundo ano, a série deslizou completamente, substituindo o drama psicológico por um familiar, enquanto Jones lidava com sua mãe. Sem um vilão propriamente dito, a série teve dificuldade em entregar uma história que prendesse nossa atenção. Felizmente, a showrunner Melissa Rosenberg parece ter tomado nota disso.


Nesse terceiro e último ano da série, voltamos ao terror/ drama psicológico com Jones enfrentando Foolkiller, um assassino cuja inteligência está acima de tudo que Jessica enfrentou antes. Em um mundo de supersoldados, asgardianos, Gregory P. Sallinger, o Foolkiller, é algo realmente aterrorizante: um psicopata cuja maior habilidade é sua inteligência.

Mas quem é Sallinger de verdade?

Foolkiller nos quadrinhos

Nos quadrinhos, Greg Sallinger foi o segundo super-vilão a assumir a identidade do Foolkiller. O original era Ross Everbest, um religioso fundamentalista que acreditava que tinha sido escolhido por Deus para matar qualquer um que ele considerasse pecador. Everbest inventou uma arma poderosa que desintegrava as pessoas com um único tiro.

Vestido com uma fantasia à la Zorro, ele começou a matar aqueles que julgava ‘idiota’ (‘fool’ no original, daí seu nome). Eventualmente, Everbest acabou morrendo ao tentar matar o Homem-Coisa (Man-Thing). Ironicamente, sua alma foi condenada ao tormento eterno no Inferno de Mephisto.

Aí entra Greg Sallinger. Inspirado pelo conto do Foolkiller original, ele decidiu dar continuidade à cruzada de Everbest, mas com uma grande diferença. Enquanto que um acreditava que os pecadores eram idiotas, Sallinger considerava ‘idiota’ qualquer um que não tivesse ‘poesia em sua alma’. Ou seja, ele era um louco de pedra que poderia atacar qualquer um.

Ele acaba tentando acabar com os Defensores, mas é derrotado pela Felina e Valquíria. Aliás, a Felina dos quadrinhos é ninguém menos que Patsy Walker. Na série, Patsy é o apelido ‘artístico’ de Trish Walker e, como vimos na segunda temporada, ela acaba ganhando poderes – portanto devemos vê-la como a Felina.

Mas de volta para o Foolkiller, um dos momentos mais icônicos do vilão nas HQs é seu encontro com o Homem-Aranha. Sallinger percebe que apenas um idiota acreditaria que seria capaz de derrotar o Cabeça de Teia e, então, tenta se suicidar. O Aranha consegue impedí-lo, felizmente.

Versão Marvel/ Netflix

Nos quadrinhos, o Foolkiller sempre foi uma figura um tanto absurda, tendendo mais para o lado do humor negro. Na série Jessica Jones isso está diferente e usa essa ideia para criar seu próprio perigoso e psicótico serial killer.

A versão da Marvel/ Netflix de Gregory Sallinger é um homem implacável e inteligente, sem um traço de empatia. Ele sofreu bullying e foi abusado quando criança e, como resultado, cresceu distante do restante do mundo, enxergando os outros como inferiores.

Sallinger ama o conhecimento e é orgulhoso do fato dele ter terminado alguns doutorados, indo de psicologia a biologia marinha.

A personalidade de Sallinger é, essencialmente, definida por uma estranha combinação de orgulho e insegurança. Ele tem assassinado pessoas desde adolescente; algumas vezes ele as enxerga como inferiores, em outras como uma ameaça, porque elas contam com algum ‘dom’ e ele não acha isso justo. Antes de assassinar as pessoas, ele gosta de usar seu conhecimento de psicologia para acabar com todas as ilusões da vítima sobre ela própria, fazendo tortura psicológica, apenas para fotografar seus rostos momentos antes de morrerem.

A versão da série de Sallinger é fascinante, principalmente por ser o tipo de pessoa que se sente ameaçada pela existência de super-heróis. Afinal, esses ‘supers’ são mais fortes, rápidos e inteligentes do que qualquer outra pessoa e, para complementar, muitos conseguiram esses poderes por acidente, ou seja, é ‘injusto’.

Não demora muito para o vilão começar um jogo de gato e rato com Jessica Jones e Trish Walker.

Para melhorar, nessa terceira temporada de Jessica Jones, Greg Sallinger é interpretado por Jeremy Bobb, que já se destacou em Manhunt: Unabomber, Godless e Boneca Russa.

Com isso tudo, Jessica Jones pode fechar a série com chave de ouro.