Com o lançamento de Toy Story 4 e Frozen 2 no mesmo ano, a disputa pelo Oscar de Melhor Animação deve ser a mais acirrada dos últimos tempos.

Toy Story 4 estreou na semana passada, conquistando o coração dos críticos e batendo recordes de bilheteria com uma abertura de 238 milhões de dólares.

Frozen 2 chega aos cinemas americanos em novembro, e promete trazer mais aventuras de Elsa e Anna em terras além de Arendelle.


Competição ferrenha

Além de Frozen 2 e Toy Story 4, outras animações também devem concorrer ao Oscar. Por enquanto, Como Treinar o Seu Dragão: Mundo Escondido é um dos nomes mais citados.

A presença de O Rei Leão na categoria é uma grande dúvida. O filme foi produzido utilizando técnicas de computação gráfica e construção digital, podendo não se encaixar nos critérios da categoria de animação do Oscar.

Como a Disney ainda não se manifestou sobre essa possibilidade, é bem provável que o filme não concorra a essa categoria, assim como O Livro da Selva não concorreu em 2016.

Plataformas e estúdios

A Netflix também deve entrar na corrida pelo Oscar de Melhor Animação.

A plataforma deve submeter ao Oscar o filme Klaus, dirigido pelo criador da franquia Meu Malvado Favorito, e que contará a história da origem do Papai Noel.

O estúdio DWA, conhecido por suas animações experimentais e sensíveis, tem tudo para concorrer com Abominável, previsto para estrear em setembro.

Outros possíveis filmes na categoria de Melhor Animação podem ser Shaun: O Carneiro 2, A Família Addams, Elo Perdido ou até mesmo Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2.

Além disso, o estúdio independente GKIDS, que já conseguiu 11 indicações à categoria desde 2010, pode entrar na briga com a indicação de Buñuel no Labirinto das Tartarugas, sobre a vida do cineasta surrealista Luis Buñuel.