Os quadrinhos de The Walking Dead seguiram o mesmo caminho da série de televisão – em termos – e mataram Rick Grimes. Mas como o aparentemente invencível Rick pode morrer?

A AMC fugiu dessa questão, ao se livrar de Rick, mas sem matar o personagem. Ele ainda vai aparecer em uma série de filmes, que devem introduzir a comunidade Commonwealth de vez na história. Robert Kirkman, autor dos quadrinhos, no entanto, é muito mais corajoso do que a emissora de TV à cabo americana.

No término de The Walking Dead #191, Sebastian Milton, filho da líder de Commonwealth, Pamela, atira em Rick. Ele não morre, não ainda, mas o cliffhanger da revista deixou os fãs no mistério: esse é realmente o fim de Rick? Contra todas as expectativas, esse realmente foi o fim do personagem, um fim que Kirkman revelou ter planejado há tempos. O autor sempre disse que todos podem morrer em The Walking Dead e na revista 192 a morte bateu à porta de Rick.


Fim trágico

A edição #192 começa exatamente de onde fomos deixados na #191 – Sebastian Milton apontando uma arma para Rick, já tendo atirado uma vez. Ao perceber o que fez, Sebastian entra em pânico e atira mais três vezes, matando Rick. É um fim bastante trágico para alguém que sobreviveu todo esse tempo, mas depois de quase 16 anos, a história de Rick chegou ao fim – em termos.

A morte de Rick é um resultado trágico do mundo que ele está construindo, um fruto de seu envolvimento na política de outra comunidade, Commonwealth. Essa comunidade é muito maior e mais avançada que Alexandria ou Hilltop, mas eles só conseguiram isso através de sua sociedade altamente desigual, que acabou gerando uma revolta, algo que já estava se formando antes mesmo de Rick chegar lá. Obviamente, a presença de Rick acaba incentivando essa revolução, por mais que tenha tentado manter a paz entre a governadora local, Pamela Milton e o povo rebelde.

No fim, Rick consegue impedir uma guerra e dá um discurso. Ele implora que todos busquem um futuro melhor, aprendendo dos erros do passado e que não permita que poucos controlem o destino de mutios. Rick diz a eles que acreditava que a selvageria era a única maneira de sobreviver nesse mundo, mas que ele passou a acreditar que há uma maneira melhor, mais civilizada. Nesse momento, Kirkman inverte uma famosa frase de Rick, que diz “nós NÃO somos os mortos que caminham!” (we are not the walking dead).

Com isso, Rick inspira o povo da Commonwealth, assim como ele inspirou muitos outros antes.

Para a maioria da comunidade, essas mudanças são boas e logo são formulados planos para eleições. Mas para aqueles no poder, as mudanças são chocantes. Para Sebastian, filho de vinte e poucos da governadora local, o fato de sua família não estar mais no poder é algo inadmissível e ele culpa Rick por isso. Em sua raiva, ele acaba matando Rick sem pensar nas consequências. A morte do protagonista da HQ (até agora) é uma consequência direta, portanto, de sua luta por um futuro melhor.

Mas a tragédia da morte de Rick não para por aí.

Somente na manhã seguinte Carl descobre o corpo de seu pai e ele já se transformou em zumbi. Nesse momento Carl não hesita e atira, matando o zumbi. Somente então ele entende o que aconteceu e começa a chorar.

Ainda há esperança

Mas há uma dose de esperança na reação de Carl à morte de seu pai. Quando falam para Carl que foi Sebastian que assassinou seu pai, ele não exige vingança. Ao invés disso, ele fica satisfeito com o fato de que Sebastian foi preso e permanecerá nessa condição pelo futuro próximo. Carl reconhece que prender Sebastian é o que seu pai ia querer, dizendo ser uma punição masi civilizada. Além disso, o garoto nota que é um destino pior que a morte, porque Sebastian precisa agora refletir sobre o que ele fez e Carl pode visitá-lo sempre que quiser ver sua situação miserável.

Antes de sair, no entanto, Carl avisa a Sebastian que se ele escapar, ele vai caçá-lo e machucá-lo antes de devolvê-lo à prisão.

Ainda é incerto o que acontecerá após a morte de Rick. Carl lidera uma gigantesca procissão fúnebre, levando seu pai de volta para Alexandria, onde será enterrado. O garoto chega quebrar na frente de Michonne, dizendo que não conseguie prosseguir sem seu pai. Mas isso não é bem verdade.

Rick preparou bem seu filho, mas Carl, obviamente, vai precisar de um tempo de luto. Será um período difícil, mas há um futuro esperançoso em The Walking Dead.

Um futuro que só existe por causa de Rick Grimes.