O final de A Bruxa de Blair ainda assombra os fãs até hoje, mas o que exatamente aconteceu?

O terror lançado há 20 anos conta a história de três cineastas estudantes que vagam pela floresta de Burkittsville para investigar a lenda da Bruxa de Blair. O trio nunca mais é visto, mas um ano após o desaparecimento, as imagens filmadas são recuperadas.

Clássico, A Bruxa de Blair ainda é muito comentado até hoje, então vamos rever a narrativa dessa obra que trouxe muito impacto para o gênero.


A lenda da Bruxa de Blair

A Bruxa de Blair foi um dos primeiros filmes a usar a internet como uma ferramenta de marketing, sendo vendido como um documentário de gravações encontradas, mesmo se tratando de uma total ficção.

A história conta que, em 1785, na aldeia de Blair, em Maryland, um grupo de crianças acusou uma mulher chamada Elly Kedward de levá-las para sua casa e tirar sangue delas. A cidade enfurecida rapidamente a considera culpada e ela é banida para o lado de fora da aldeia em um inverno rigoroso para morrer de frio. No ano seguinte, todos os acusadores de Kedward e alguns dos filhos da aldeia desaparecem, levando a vila a ser abandonada.

Um novo município se instala no local décadas depois, mas com o passar dos anos acontecem estranhas ocorrências, como o desaparecimento de crianças e o assassinato ritualista de um grupo de busca em 1886. Em 1940, um eremita chamado Rustin Parr se entrega para as autoridades e confessa o assassinato de sete crianças, alegando que uma mulher fantasma encapuzada o obrigou.

Kyle Brody foi o único sobrevivente, com Parr fazendo o menino ficar em um canto enquanto cometia os assassinatos. Parr foi enforcado por seus crimes e a lenda da Bruxa de Blair desapareceu na obscuridade até que um trio de estudantes universitários – Heather Donahue, Joshua Leonard e Michael Williams – desapareceu filmando um documentário sobre o assunto.

Como A Bruxa de Blair termina?

A Bruxa de Blair apresenta os estudantes que investigam a lenda da bruxa, incluindo entrevistas com os moradores sobre os vários mitos que surgiram em torno dela. Um entrevistado até afirma ter visto a Bruxa de Blair, descrevendo-a como uma criatura meio humana, meio animal.

O grupo então entra na floresta de Burkittsville, apenas para se perder rapidamente. Eles ouvem ruídos estranhos na mata à noite e encontram homens mortos suspensos nas árvores. O grupo fica muito nervoso com o passar dos dias e Josh desaparece. Seus gritos são ouvidos mais tarde vindo da floresta, com Heather encontrando um pedaço de sua roupa cheia de dentes ensanguentados e cabelo no dia seguinte.

O final de A Bruxa de Blair mostra Heather e Mike se deparando com o que parece ser a casa abandonada de Rustin Parr – o que deve ser impossível já que foi incendiada após sua execução em 1941. A dupla entra na casa, seguindo os gritos de Josh e encontrando estranhos símbolos e marcas de mãos na parede.

Mike é atacado por algo fora da câmera, levando Heather a pegá-lo e ir para o porão. Lá ela vê Mike virado para o canto, assim como Kyle Brody fez quando Parr matou as crianças, e Heather grita quando é atacada por alguma coisa e deixa cair a câmera.

O que realmente aconteceu?

Há uma série de teorias sobre o que acontece na última cena de A Bruxa de Blair, mas a mais comumente aceita é que a Bruxa de Blair levou Heather e Mike para a casa e os matou. O filme mostra o grupo se perdendo e viajando em círculos, levando alguns fãs a acreditarem que estão presos em um loop temporal criado pela bruxa, o que permite explicar como a casa de Parr ainda poderia estar de pé.

Outras teorias afirmam que alguns moradores de Burkittsville são os responsáveis ​​pelos assassinatos, ou que a bruxa possuía Josh e ele é o atacante invisível. Se eles estavam mesmo em um loop temporal, também é possível que o próprio Rustin Parr seja o assassino.

A sequência Bruxa de Blair, de 2016, reforça as teorias de viagem no tempo, com o irmão de Heather, James, indo para o mesmo bosque para investigar seu desaparecimento e seu grupo logo é pego em um loop que termina na casa de Rustin Parr.

O macabro jogo Blair Witch Volume I: Rustin Parr, lançado em 2000, acontece em 1941, com o personagem principal passando pela casa de Parr e tendo uma visão de Heather e Mike no porão – um evento que só aconteceria 50 anos depois.

Heather é atacada por uma força invisível, e o jogo sugere uma antiga força indígena norte-americana apelidada de Hecaitomix que habita a floresta e é responsável pela criação da Bruxa de Blair.

Há de se destacar, porém, que apesar de o jogo trazer diversos esclarecimentos, muitos não o consideram canônico, mantendo vivos os maiores mistérios de A Bruxa de Blair – que com certeza serão discutidos por outras várias próximas gerações.