Atenção! Contém spoilers de The Walking Dead.

The Walking Dead surpreendeu os fãs ao anunciar o fim da saga nas HQs. O epílogo dividiu as opiniões da internet e causou muita discussão em fóruns especializados.

Robert Kirkman já havia afirmado que a HQ não demoraria a chegar ao seu desfecho após a morte de Rick, assassinado por Sebastian Milton.


É até difícil comparar o final de The Walking Dead nas HQs com as conclusões de Game of Thrones e Vingadores, já que os quadrinhos são um meio extremamente diferente da TV e do cinema. Além disso, a série The Walking Dead continua firme e forte na AMC, e que dificulta ainda mais um sentimento verdadeiro de conclusão.

Mesmo assim, a saga ousou em terminar com uma surpresa maior que qualquer uma das mortes mais chocantes da série, escolhendo um tom esperançoso e lançando a última edição sem nenhuma jogada de marketing.

Um ano de Ultimatos

2019 foi dominado pelas franquias, e por suas conclusões. Vingadores: Ultimato, já faturou mais de 2,7 bilhões de dólares mundialmente, e o sucesso da estreia de Homem-Aranha: Longe de Casa mostrou que o MCU continua firme e forte após a morte de alguns dos heróis mais icônicos do cinema.

Na TV, Game of Thrones acabou assumindo a rota contrária, e produziu uma temporada final morna, com um dos desfechos mais criticados da história das séries. A trama pareceu corrida com apenas 6 episódios, e fãs se sentiram traídos.

Uma estrategia surpreendente

Contrastando com o MCU e GoT, The Walking Dead decidiu terminar sem deixar tempo para que os fãs criassem expectativas, o que prejudicou principalmente a série da HBO. A temporada final de Game of Thrones demorou anos para ser produzida, e foi divulgada como uma obra de arte da TV, contribuindo ainda mais para as expecativas impossivelmente altas dos fãs.

Na edição da morte de Rick, não havia nenhuma indicação que o próximo volume de The Walking Dead seria último. Na verdade, a Image Comics já havia confirmado solicitações para edições futuras. Leitores estavam preparados para acompanhar um mundo sem Rick, e alguns deles até consideraram que a morte do protagonista era o sopro de vida que a HQ precisava.

Porém, Robert Kirkman sempre foi claro em seu objetivo de terminar a saga em seus próprios termos. Com o final surpresa, fãs não tiveram tempo de criar teorias sobre como a história deveria terminar.

A estrategia deu certo, e mesmo que o final em si tenha dividido a opinião dos fãs, Kirkman conseguiu o que queria.

Um tom diferente

Outra diferença entre o final de The Walking Dead e de outros gigantes da cultura pop é o tom esperançoso do desfecho. Vingadores: Ultimato conseguiu reviver os mortos de Guerra Infinita, mas também marcou o final de heróis como o Homem de Ferro, Capitão América e Viúva Negra. O final de Game of Thrones foi ainda mais trágico, com Westeros se preparando para um futuro brilhante construído sobre os corpos de personagens queridas como Daenerys Targaryen.

The Walking Dead sempre foi contou uma história obscura, porém conseguiu encontrar momentos de leveza e emoção em sua trama. A série escolheu um final surpreendentemente feliz, mesmo considerando-se a morte de Rick.

A edição final mostrou que tudo aquilo que Rick lutou e morreu para construir, deu frutos. Mais de uma década depois da morte do protagonista, a sociedade pôde ser reconstruída (na medida do possível), e os mortos foram contidos. Um senso de normalidade retorna, e esse é o final perfeito para a série.

Às vezes, histórias simplesmente precisam de finais felizes. E no caso de The Walking Dead, o desfecho foi uma grata surpresa.