Atenção: Contém spoilers de Homem-Aranha: Longe de Casa

Homem-Aranha: Longe de Casa finalmente chegou aos cinemas do mundo todo, encerrando a longa Fase 3 da Marvel Studios no cinema. Claro, a conclusão de fato ficou com o estrondoso Vingadores: Ultimato, enquanto o novo filme com Tom Holland é mais centrado no aracnídeo e algumas das consequências que a batalha épica entre os Maiores Heróis da Terra e Thanos deixou para a sociedade, mas Longe de Casa traz o vislumbre de caminhos interessantes para o MCU. Especialmente para o Homem-Aranha.

A começar pelo grande dilema que assombra o personagem por todos os lados durante a trama do segundo filme: ele será o novo Tony Stark? Se em De Volta ao Lar ele se esforçava para ser levado a sério como um Vingador, em Longe de Casa ele literalmente teme estar carregando uma responsabilidade pesada demais. É uma questão jogada pela mídia, pelo povo de Nova York, por Happy Hogan e até por Nick Fury, que literalmente o tira de suas férias escolares na Europa para ajudá-lo em uma missão importante, colocando-o em contato com Mysterio de Jake Gyllenhaal.


A confiança de Peter em Mysterio, que se apresenta como um aliado da SHIELD, é o início de todos os problemas futuros do herói. Assumindo que Quentin Beck deveria ser o novo representante do Homem de Ferro, ele lhe entrega a tecnologia E.D.I.T.H., óculos de I.A. usado por Tony Stark em Vingadores: Guerra Infinita e Ultimato. Era uma armadilha do vilão, claro, que agora tem controle de drones destrutivos das Indústrias Stark – e também a forma como Beck descobre alguns dos maiores segredos do Homem-Aranha, que virão a calhar em seu plano no clímax.

Após Mysterio ser derrotado e aparentemente morto, um vídeo é vazado para o site do Clarim Diário, onde Beck aparece revelando que o Homem-Aranha foi responsável pelo ataque de drones na Europa, e também que sua identidade secreta é a de Peter Parker. O vídeo é exibido em um grande telão em Manhattan, estabelecendo esse como o ponto de partida para a próxima aventura do Homem-Aranha nos cinemas, que ainda não tem previsão de estreia.

O que esperar de Homem-Aranha 3?

E o que podemos esperar de um terceiro filme solo do Homem-Aranha no MCU? Longe de Casa deixa estabelecido que Peter Parker e MJ serão um casal, já trazendo mais elementos à trama. Mas o mais importante, claro, é o fato de que sua identidade foi vazada para o público – e o fato de ter sido pelas mãos de J. Jonah Jameson (vivido novamente pelo grande J.K. Simmons, da trilogia de Sam Raimi) coloca oportunidades interessantes. Na era das fakes news, o Clarim Diário ter se tornado um site independente movido por um jornalista extremista parece uma ótima atualização, e também pode colocar Jameson como um potencial antagonista.

Nos quadrinhos, é J. Jonah Jameson quem financia o experimento para transformar Mac Gargan no vilão Escorpião, visando usá-lo para pegar e matar o Homem-Aranha. Como o personagem foi introduzido em Homem-Aranha: De Volta ao Lar, com o ator Michael Mando, não seria nenhuma surpresa se essa fosse exatamente a história que Jon Watts e a Marvel Studios queiram contar a seguir. É uma ótima premissa, e torço para que a Marvel encontre roteiristas capazes de executá-la apropriadamente, e que a revelação de Peter como Homem-Aranha não seja “só mais um” no universo compartilhado que geralmente é inconsequente com identidades secretas.

Além dessa premissa, há um elemento que os fãs estão esperando ansiosamente, e que rumores afirmam estar chegando: Duende Verde. O grande inimigo do Homem-Aranha é, de acordo com diferentes fontes, motivo de negociação entre a Sony e a Marvel Studios, que deseja usar Norman Osborn como um de seus próximos grandes vilões no MCU. Havia rumores e que ele apareceria em Longe de Casa, e que a reforma da Torre dos Vingadores seria justamente para atender o prédio da Oscorp (ou o Edifício Baxter). Vamos aguardar.

Homem-Aranha: Longe de Casa está em exibição nos cinemas brasileiros.