O filme Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal, com Zac Efron, conta a história do terrível assassino Ted Bundy e o complexo caso que o envolve. Como todo filme baseado em fatos reais, existem alguns aspectos da história que foram mudados ou cortados para beneficiar a narrativa, mas quais são eles?

Em um artigo, o ScreenRant falou sobre todas as mudanças que Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal trouxe com relação à vida real.

O filme foi baseado na narrativa da ex-namorada de Bundy

Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal é baseado no livro “The Phantom Prince: My Life with Ted Bundy”, escrito por Elizabeth Kendall, ex-namorada do serial killer. Os dois tiveram um romance entre 1970 e 1974, período em que ele matou 30 mulheres.


Em Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal, o filme começa com o primeiro e o último encontro do casal, mostrando de maneira dramática o contraste entre os dois encontros. Na vida real, Elizabeth Kendall vive uma vida privada e sem alardes depois de todo o caso. Ted Bundy foi sentenciado à morte em 1980, dezessete meses antes dela lançar seu livro sobre o caso.

O casal é mais importante que os crimes em si

No fim das contas, Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal é muito mais sobre a relação de Bundy e Kendall do que qualquer outra coisa. A narrativa do filme não foca na histeria e no desespero do caso e sim em como ele afeta a relação entre duas pessoas. A história é sobre esse laço entre os dois, o que torna a queda e a exposição dos crimes de Ted Bundy muito mais dramáticas quando ela acontece.

O filme foge dos detalhes sórdidos

Apesar de não mostrar os detalhes terríveis dos crimes cometidos pelo protagonista, Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal tampouco romantiza o seu vilão. Sim, ele é normalizado e humanizado em um certo nível, já que acompanhamos toda a história pela perspectiva de sua namorada, mas tudo isso só existe para que a revelação final do filme seja extremamente chocante e trágica. No fim, o filme faz um bom trabalho em não banalizar a persona de um assassino em série.

A segunda fuga é retratada de maneira diferente

Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal mostra a fuga de Ted no tribunal de Aspen, Colorado, quando ele foge pela janela e fica foragido por alguns meses. Pouco depois, ele foge de novo, mas o filme curiosamente retrata isso de maneira bem diferente ao que aconteceu na vida real. Nas cenas da segunda fuga, Ted Bundy aparece fisicamente bem parecido com as cenas da primeira, o que não faz o menor sentido, já que o assassino passou meses sobrevivendo em condições precárias.

Imagens reais mostram que Ted Bundy perdeu 15kg entre sua primeira fuga e sua segunda, o que mostra que de certa forma, Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal tentou romantizar o fato.

Salto no tempo

Depois da segunda fuga, Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal salta uma década no tempo, situando-se nos dias finais de Ted Bundy e em suas últimas conversas com Kendall. Tudo o que o filme retrata é de certa forma verdadeiro, mas essa opção de excluir diversas partes da vida de Bundy – como sua relação com o FBI antes da Pena de Morte – foram simplesmente escolhas criativas para focar no que interessava: Sua relação com Kendall.

Sem história de origem

Ted Bundy não tem sua origem e infância contadas em Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal e isso até faz sentido dentro da história que o filme está querendo contar. No fim, esse é um recorte bem feito, já que o longa quer mesmo mostrar como um homem de família se tornou um assassino tão cruel e impiedoso.

Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal estreia dia 25 de julho no Brasil. Nos EUA, o filme já está disponível na Netflix.