Como Supernatural reinventou o diabo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Lúcifer, a figura bíblica que representa o mal encarnado, sempre esteve presente em diversas obras da cultura pop. Geralmente retratado em uma forma demoníaca, com chifres e aparência monstruosa, Lúcifer ganha uma versão bem diferente em Supernatural, sendo apresentado em forma humana por meio da excelente interpretação do ator Mark Pellegrino.

Ao longo de quatorze temporadas, Lúcifer se manteve como um personagem interessante em Supernatural, que subverteu a maneira em que ele foi retratado em outras obras conhecidas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em um artigo, o CBR falou sobre como Supernatural reiventou Lúcifer.

Simpatia pelo diabo

Supernatural sempre tenta humanizar seus vilões, fugindo da simplificação de bem ou mal. Com Lúcifer não é diferente. O personagem não é retratado como uma representação do mal absoluto, mas sim como um filho que se sente traído e abandonado pelo seu pai. Nesse aspecto, ele é bem parecido com os Irmãos Winchester, que também têm problemas com o pai ausente.

Por isso, Lúcifer, assim como os outros anjos de Supernatural, tem características e dramas que são tão humanos como o de qualquer outro personagem, o que faz com que o espectador consiga até entender o vilão – e simpatizar com seus traumas.

Mesmo satã, diferentes faces

Em Supernatural, o diabo assume diferentes faces. Além da versão interpretada por Mark Pellegrino, o personagem também possui diversos outros hospedeiros, como o próprio Sam Winchester, que é uma espécie de “hospedeiro real” de Lúcifer.

Além de Sam, Lúcifer também ocupa ocasionalmente o corpo de freiras, bispos e até mesmo Castiel. Em uma das histórias mais divertidas de Supernatural, Lúcifer toma o corpo do Presidente dos Estados Unidos, o que gera a trama absurda em que Sam e Dean são presos por tentar assassiná-lo. No fim, isso ainda gera o nascimento de Jack, o filho de Lúcifer que é híbrido entre humano e anjo, que causa diversos problemas para os Winchester.

Quem é o monstro, quem é o homem?

Na 13ª temporada de Supernatural, temos a melhor história de Lúcifer na série. Nick – o hospedeiro de Lúcifer – finalmente se vê livre para recuperar sua vida. Ele passa a investigar o assassinato de sua esposa e filho, que morreram no período em que Lúcifer possuiu seu corpo. A medida em que a história vai avançando, percebemos que Nick está cada vez mais brutal, o que nos faz questionar se Nick é tão inocente assim.

No fim das contas, Supernatural estabelece uma relação quase que simbiontica entre os dois, mostrando que o lado negro de Nick também existe e que ele não pertence apenas a Lúcifer. Supernatural retrata, portanto, um diabo bem diferente das outras mídias, explorando-o de maneira mais profunda do que a maioria das outras obras.

Supernatural lança a 15ª temporada em 10 de outubro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio