Ao longo dos 11 anos de Universo Cinematográfico da Marvel, poucos personagens conquistaram tanto a admiração dos fãs quanto Loki. Originalmente retratado como vilão, o Deus da Trapaça se tornou tão popular que o MCU acabou promovendo-o a anti-herói, ocupando um papel mais amistoso nas continuações dos filmes de Thor, e nem mesmo a morte pode deixá-lo para descansando.

Uma das atrações que a Marvel Studios de Kevin Feige anunciou para sua Fase 4 na San Diego Comic-Con é uma série concentrada especialmente no herói. Batizada simplesmente de Loki, a produção será feita exclusivamente para o Disney+, e partirá de uma premissa bem interessante. Veremos o Deus da Trapaça que escapou de uma realidade alternativa durante a viagem no tempo de Vingadores: Ultimato. Agora de posse o Tesseract, ele viajará para diversos pontos da História da humanidade, e deve agir como influenciador de algumas das maiores tragédias e conflitos do planeta.

Portanto, não teremos o mesmo Loki que passou por transformações no MCU. Estaremos acompanhando o Loki de 2012, que serviu como principal antagonista do primeiro filme dos Vingadores, onde comandou o exército Shitauri em uma invasão em Nova York – agindo também como embaixador indireto de Thanos, que lhe garantiu posse do cetro com a Joia da Mente. Era um Loki que era maligno, manipulador e que tinha raiva cega de seu meio-irmão Thor, e que havia sido humilhado durante sua tentativa de dominar Asgard no filme solo do Deus do Trovão.


Na realidade que seguimos no MCU, Loki entrou em uma jornada de redenção. Em O Mundo Sombrio, ele ajudou Thor a enfrentar Malekith e os Elfos Sombrios, ainda que tenha tentado usurpar o trono de Asgard mais uma vez. Em Thor: Ragnarok, ele se juntou mais uma vez ao irmão para enfrentar Hela, a Deusa da Morte, que literalmente despacha os dois para outro canto do universo. Ele é morto por Thanos em Vingadores: Guerra Infinita, ao tentar matar o Titã Louco com suas próprias mãos.

A trapaça é o charme

A série do Disney+, portanto, pode trazer Loki a seus dias de glória. Não que o arco do personagem nos filmes restantes do MCU tenha sido ruim, mas acabava caindo em repetição: cedo ou tarde Loki sempre acabava traindo ou sacaneando Loki, e a mistura de aliado/vilão sempre soava confusa. Com um Loki raiz, teremos a oportunidade de ter o grande antagonista da Fase 1 de volta.

A Marvel Studios definitivamente teve um problema com a maioria de seus vilões, mas Loki é uma grande exceção. Ele foi carismático e envolvente em Thor, e completamente maléfico no primeiro Vingadores, e a ideia de termos um retorno a essa versão, ainda mais na premissa temporal completamente maluca, é uma das coisas mais empolgantes que o MCU tem reservada. Vai ser ótimo ver Tom Hiddelson abraçando esse lado mais uma vez.

A série de Loki no Disney+ chega em 2021.