Ao longo de 23 filmes, Thanos foi o melhor vilão que o MCU entregou até o momento, o que torna extremamente difícil a tarefa da Marvel de encontrar uma ameaça ainda mais impactante. Felizmente, temos a solução.

Galactus, o Devorador de Mundos, não só é um vilão clássico do Quarteto Fantástico, mas também é um dos maiores vilões da Marvel. Apesar de ele não ser um personagem fácil de se adaptar para os cinemas, se o MCU conseguir torná-lo interessante, existe uma grande chance dele ser ainda melhor do que Thanos.

Em um artigo, o CBR falou sobre Galactus e sobre como ele pode se tornar o maior vilão da Marvel, agora que Thanos se foi.


O Devorador de Mundos

Para Galactus funcionar no MCU, a Marvel deveria introduzí-lo de maneira gradual, assim como fez com Thanos. Ou seja, Galactus teria que se tornar de fato o vilão deste universo por volta da Fase 6 da franquia, assim como Thanos, que só enfrentou os Vingadores na Fase 3, depois de muito desenvolvimento e criação de expecativa em torno da sua aparição.

De acordo com uma teoria criada pelo CBR, a introdução de Galactus no MCU poderia ser conectada diretamente às Jóias do Infinito e aos Celestiais – Deuses cósmicos que já apareceram de relançe em Guardiões da Galáxia. Com isso, as Fases 4 e 5 do MCU poderiam preparar o terreno para a chegada do vilão.

Origem ligada aos Celestiais

Nos quadrinhos da Marvel, Galactus era um humano chamado Galan, que vivia em um dos universos existentes no multiverso antes dele ser totalmente destruído. O poder cósmico gerado pela destruição deste universo de Galan acaba criando Galactus, esse ser cósmico que devora planetas para satisfazer sua fome e para manter o equilíbrio no universo.

Dessa forma, o MCU poderia contar essa história em algum filme – como Os Eternos – mostrando a origem dos Celestiais e como eles se reproduzem colocando sua “semente” em planetas habitáveis. A destruição do universo de Galan – e a criação de Galactus – poderiam ser ligadas aos Celestiais também, que fariam isso para criar as Jóias do Infinito.

Assim, a Marvel conseguiria conectar todos os seus elementos cósmicos, justificando assim a existência das Jóias do Infinito – que funcionariam como uma espécie de proteção do universo contra ameaças cósmicas – explicando também o motivo pelo qual Galactus atacaria a Terra, já que nos quadrinhos ele ataca apenas planetas que foram atingidos pela “semente” dos Celestiais.

Para tornar tudo ainda mais interessante, a Marvel poderia até mesmo inserir o Surfista Prateado na Fase 5 – Capitã Marvel 2 seria um bom filme para ele aparecer – o que já prepararia o cenário para a aparição de Galactus.

Se a Marvel pavimentar o terreno corretamente, Galactus tem tudo para ser um dos melhores vilões do MCU, já que ele representa uma ameaça milenar ainda maior que Thanos, além de ser um personagem com diversas camadas interessantes, justamente por ter a função de trazer equilíbrio para o universo por meio da destruição, o que traria um conflito interessante para os Vingadores tentando pará-lo.