Começando sua carreira nos nos 80, Angelina Jolie é atualmente uma das atrizes mais conceituadas de Hollywood. Um ícone da beleza, a artista atualmente divide seu tempo entre a atuação e trabalhos humanitários.

Como é de praxe em um meio tão sexista e superficial como o cinema, Angelina Jolie mudou o visual diversas vezes para se adequar às exigências da indústria, e sofreu por causa disso. Pequenos detalhes são transformados em verdadeiras tempestades em um matérias que exploram apenas as ditas “imperfeições” de atrizes como Jolie.

Confira abaixo como o visual de Angelina Jolie mudou dos anos 80 para a atualidade!


Princesa de Hollywood

Angelina Jolie nasceu em uma família famosa em Hollywood, sendo filha dos atores Jon Voight e Marcheline Bertrand. Com parentes também famosos, Jolie é sobrinha do cantor e compositor Chip Taylor e afilhada dos icônicos Jacqueline Bisset e Maxililian Schell.

A atriz foi vítima do bullying na juventude exatamente por sua aparência. Ela era zoada por seus colegas por sua magreza, uso de óculos e aparelho nos dentes. Na adolescência, por insistência de sua mãe, ela tentou a sorte como modelo mas não conseguiu trabalho.

Ainda no Ensino Médio, Angelina Jolie passou por uma fase gótica, e estudou para se tornar uma agente funerária e tanatopraxista. Na época, ela também sofreu com a depressão e praticou auto-mutilação, se cortando para “se sentir viva”.

Em uma reflexão sobre sua vida nos holofotes, Angelina Jolie afirmou que também lutou contra o vício em drogas, especialmente heroína, no começo de sua juventude, além de desordens alimentares, surtos psicológicos e pelo menos uma tentativa de suicídio.

Em várias entrevistas, Angelina Jolie apontou a maneira como a “indústria” trata as atrizes como o razão por vários de seus problemas psicológicos.

Primeiros anos

Embora tenha atuado em comerciais, filmes independentes e videoclipes desde os anos 80, Angelina Jolie começou sua carreira profissional no cinema em 1993, protagonizando o filme Ciborgue 2. O primeiro papel da atriz em Hollywood foi no filme Hackers, lançado em 1995.

A carreira da atriz começou a melhorar após 1997, ano em que Jolie ganhou um Globo de Ouro por sua performance em George Wallace, uma série histórica do TNT. Em 1998, ela interpretou a supermodelo Gia Carangi no filme Gia, da HBO, considerado um dos melhores papéis de Jolie.

Nesse mesmo período, Jolie começou as gravações do que seria um dos seus papéis mais conhecidos no cinema, em Garota Interrompida. A performance da atriz como uma paciente sociopata em um manicômio foi extremamente aclamado por público e crítica, que permitiu que Angelina Jolie se transformasse em um dos principais nomes de Hollywood nos anos 2000.

O auge

Os anos 2000 foram o auge de Angelina Jolie em Hollywood. Conhecida inicialmente por performances em filmes independentes, a atriz passou a ser escalada cada vez mais em grandes blockbusters, começando pela heroína Lara Croft na adaptação do game Tomb Raider.

Após Tomb Raider, Angelina Jolie atuou em projetos de grande proporção, como Alexandre, Capitão Sky e o Mundo de Amanhã, Salt, O Turista e Beowulf.

Em 2005, Jolie contracenou com Brad Pitt no bem sucedido Sr. e Sra. Smith, no qual a dupla interpretou um casal de assassinos profissionais voltados um contra o outro. A atriz viria a se casar com Brad Pitt pouco tempo depois.

Em 2008, Angelina Jolie interpretou talvez seu melhor papel em A Troca, drama de Clint Eastwood baseado em fatos reais. A performance da atriz como uma mãe lutando para reencontrar o filho foi elogiada com unanimidade por críticos especializados.

Na atualidade

Após duas décadas atuando sem parar, Angelina Jolie decidiu se aventurar por trás das câmeras. Em 2011, ela lançou Na Terra do Amor e Ódio, seu primeiro crédito como diretora. O filme conta a história do amor proibido entre um soldado sérvio e uma prisioneira durante a Guerra da Bósnia, que aconteceu nos anos 90. O filme foi concebido para reavivar o interesse do público nos sobreviventes do conflito, após Angelina Jolie visitar a Bósnia 2 vezes como Embaixadora do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados

Em 2014, Angelina Jolie voltou às telas no papel principal de Malévola, uma reimaginação do clássico A Bela Adormecida contado sob a perspectiva da vilã. O filme foi o mais lucrativo da carreira de Jolie, e ficou em 4ª lugar entre as maiores bilheterias do ano.

No mesmo ano, Angelina Jolie lançou seu segundo trabalho como diretora: Invencível. O filme conta a história real de Louis Zamperini, um importante corredor Olímpico que sobreviveu a um acidente de avião e passou 2 anos como prisioneiro de guerra dos japoneses.

Angelina Jolie também lançou mais dois filmes: À Beira-Mar (2015) e First They Killed My Father (2017).

A atriz vai interpretar Thena em Os Eternos, filme da Marvel previsto para estrear em 2021.

Cirurgias plásticas

É comum que atrizes de Hollywood façam cirurgias plásticas para expandirem seu tempo de carreira e contornarem as exigências inconsistentes da indústria do cinema. Sempre associada à sua beleza, Jolie não foi uma exceção à regra.

Não existe uma estimativa exata sobre quanto Angelina Jolie começou com as cirurgias plásticas, porém a maioria dos sites especializados concorda que a atriz fez pelo menos um procedimento no nariz no final dos anos 90. Fotos da época comprovam uma perceptível mudança na forma do nariz da atriz, que se tornou mais fino.

As sobrancelhas da atriz mudaram várias vezes entre os anos 90 e a atualidade. No início de sua carreira, Jolie usava as sobrancelhas de maneira mais arqueada, sempre marcada por traços fortes. Após 2005, ela passou a deixá-las de maneira natural.

Em 2013, Angelina Jolie supostamente usou botox entre as sobrancelhas, o que modificou um pouco a forma de suas bochechas.

Dr. Jeffrey Rawnsley, um dos cirurgiões plásticos mais famosos de Los Angeles, falou sobre a beleza de Angelina Jolie em uma entrevista:

“Existem poucas pessoas em nossa cultura que realmente podem ser consideradas ícones da beleza, e Angelina Jolie está no topo desta lista. Como eu sempre digo, é bem melhor ter bons genes do que um bom cirurgião plástico”.