Mesmo tendo se tornado uma das franquias cinematográficas de terror mais aclamadas da história, IT teve alguns erros, e o principal deles foi com Beverly.

Apesar de ser o maior destaque do primeiro filme, a personagem acabou, infelizmente, sendo subutilizada no Capítulo 2.

Protagonista no Capítulo 1

A jovem Beverly parecia ser uma adolescente normal vivendo na pitoresca cidade de Derry. Mas como foi o caso dos seus amigos, haviam muitos segredos sendo guardados a portas fechadas.


O verdadeiro terror da garota estava enraizado no relacionamento com seu pai abusivo, Alvin. Apesar de o abuso sexual não ter sido diretamente mostrado, ele foi facilmente insinuado.

O horror que ela sofreu e a coragem com a qual ela lidou tornaram Beverly a personagem mais importante no primeiro capítulo de IT, mas o terceiro ato prejudicou o seu desenvolvimento, transformando-a em uma donzela em perigo.

Mudanças em relação ao livro

Na segunda metade do livro de Stephen King, foi revelado que Beverly, já adulta, morava em Chicago trabalhando ao lado de seu marido abusivo, Tom Rogan.

Depois de receber um telefonema de Mike sobre a volta de Pennywise, ela informou ao marido que deveria ir a Derry. Tom se enfureceu e os dois entraram em uma briga física antes de Beverly conseguir escapar. IT: Capítulo 2 seguiu até esse ponto.

No livro, Tom seguiu Beverly até Derry, mas se tornou servo de Pennywise depois de ver as Luzes da Morte. Ele foi forçado a sequestrar a esposa de Bill, Audra, e a levou para o covil nos esgotos. Assim que ficou cara a cara com Pennywise, Tom morreu (literalmente) de susto.

Subutilizada no Capítulo 2

Infelizmente, tudo o que o primeiro filme construiu com Beverly pareceu desperdiçado em IT: Capítulo 2. Ela foi apresentada como uma das peças centrais quando Pennywise retornou, mas ao chegar em Derry, tinha pouco a fazer.

Quando o Clube dos Otários se reuniu, Beverly relutantemente compartilhou que tinha visões de todas as suas mortes. Este foi o resultado de ficar presa nas Luzes da Morte. Fora isso, os efeitos de ser possuída pelos poderes de Pennywise no passado foram ignorados.

Beverly teve a oportunidade de visitar sua casa de infância como parte das missões do grupo para encontrarem seus totens. Mas quando os Perdedores se reuniam, ela era frequentemente forçada como uma personagem coadjuvante, dando apoio a outra pessoa central.

Ao deixar Beverly de lado, Jessica Chastain foi estranhamente subutilizada. Isso não quer dizer que a atriz tenha feito um mau trabalho, mas poderia ter recebido mais o que fazer, principalmente ao assumir um personagem com tanto potencial.

Final que não agradou

Muito da personagem Beverly está centrado em sua longa história com abusos. Ao se casar com um homem abusivo como Tom, isso mostrou que ela estava presa nesse tipo de relacionamento cíclico com homens.

Cortar a subtrama de Tom vista no livro fez um desserviço à história geral da personagem. Ela corajosamente enfrentou o marido lutando contra o ataque dele após o telefonema de Mike, mas isso não foi suficiente.

Beverly merecia deixar sua vida como vítima para trás sem usar alguém como Ben como muleta ao perceber que ela merecia mais. Não houve um fechamento de arco para o relacionamento abusivo com Tom.

Considerando que o marido ainda estava por aí, um final mais conclusivo para toda a história de abuso sofrida deveria ter sido apresentado. Pennywise a atormentou várias vezes, mas foi seu pai e, mais tarde, seu marido, que lhe causaram mais dor na vida.