The Vampire Diaries estreou há 10 anos. Em suas oito temporadas, a série foi tão bem sucedida que gerou dois derivados – que não tiveram tanto sucesso assim – e segue sendo aclamada até os dias de hoje.

Mesmo assim, é inegável que The Vampire Diaries teria sido muito diferente se tivesse adaptado fielmente a obra literária de LJ Smith. O Digital Spy explicou tudo o que a adaptação para a televisão mudou.

Elena como uma “Menina Malvada”

Nos livros de The Vampire Diaries, a protagonista Elena tem uma personalidade completamente diferente do que foi retratado na série. Na obra original, Elena tem um comportamento egoísta, arrogante e manipulador que foi totalmente excluído pelos produtores da série, que queriam que sua heroína fosse “inocente”.


“Elena era… meio egoísta e nós não queríamos essa característica na nossa heroína. Nós meio que abandonamos essa coisa de ‘rainha popular’ do colégio que definia Elena no início dos livros”, disse Julie Plec, showrunner de The Vampire Diaries em entrevista ao E!News.

Elena e Caroline inimigas

Se em The Vampire Diaries Elena e Caroline são grandes amigas, nos livros a situação é completamente diferente. Na obra original, Elena tem uma amiga chamada Meredith – que não aparece na série – e tem Caroline como sua grande rival amorosa, já que ambas são apaixonadas por Stefan.

Damon e Bonnie são apaixonados

Sim, o romance principal dos livros de The Vampire Diaries segue sendo entre Elena e os irmãos Salvatore, mas na obra original de LJ Smith, Bonnie e Damon também possuem uma relação amorosa. Curiosamente, na série os dois personagens se odiaram durante quase todo o tempo nas primeiras temporadas.

Jeremy nunca existiu

Jeremy, o irmão de Elena em The Vampire Diaries e interesse amoroso de Bonnie foi um personagem criado exclusivamente para a série. Nos livros, Elena tem na verdade uma irmã de quatro anos de idade chamada Margaret.

O livro tem mais elementos sobrenaturais

Enquanto The Vampire Diaries foca em criaturas como vampiros, lobisomens e bruxas; os livros apresentam criaturas ainda mais exóticas, como anjos, demônios e Kitsunes – uma espécie de raposa que muda de forma.

Além disso, nos livros de The Vampire Diaries, Elena é meio-humana, meio-anjo, se tornando ao longo da saga um dos seres mais poderosos do mundo, ao ganhar a habilidade de ler mentes e manipular o tempo.

No fim, The Vampire Diaries quis ser mais “pé no chão” – dentro do possível – excluindo os elementos mais fantásticos dos livros.