Malévola 2 tem seu momento Game of Thrones com Casamento Bizarro

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em seus momentos mais memoráveis, Game of Thrones foi uma série muito violenta e sangrenta. Justamente por isso, a série da HBO que adapta a saga das Crônicas de Gelo e Fogo de George R.R. Martin não deveria ser algo que vem à mente ao assistirmos um filme da Disney para toda a família, mas adivinhem só: foi o caso com Malévola: Dona do Mal, continuação do derivado live-action sobre a vilã da Bela Adormecida protagonizado por Angelina Jolie. Parece loucura, mas explico.

Quando encontramos os personagens de Malévola cinco anos após os eventos do primeiro filme, a vida de Aurora (Elle Fanning) sofre uma reviravolta inevitável para qualquer princesa de contos de fada: ela tem sua mão pedida em casamento pelo príncipe Philip (Harris Dickinson), o que resultará na união dos dois reinos daquela terra mágica: os Moors, que consistem nas florestas e suas criaturas, e a grande cidade de Ulstead; governada pelo Rei John (Robert Lindsay) e a Rainha Ingrith (Michelle Pfeiffer). Mas como descobrimos desde o início de Dona do Mal, as intenções de Igrith não são nada boas, principalmente para os Moors.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para começar, a rainha maligna de Michelle Pfeiffer é responsável por envenenar seu marido e incriminar Malévola, que logo é acusada de ter jogado uma maldição. Ingrith sempre desejou o poder, e conspirou com algumas criaturas da floresta para tirá-lo do poder, para que ela mesmo pudesse assumir o trono. Podemos dizer que Cersei Lannister teria muito orgulho do método frio e calculista de Ingrith.

Casamento de Gás

Mas é mesmo quando o tal casamento chega que Malévola: Dona do Mal assume sua postura Game of Thrones total. Na metade do filme, todas as criaturas dos Moors são convidadas por Igrith para se juntar à cerimônia entre Aurora e Philip. Porém, há um detalhe: apenas as criaturas são permitidas de entrarem na igreja onde o casamento acontecerá, com todos os humanos de Ulstead extremamente aborrecidos por terem entrada barrada. Mas, nas palavras do Almirante Ackbar de Star Wars, “é uma armadilha”.

O plano de Igrith é trancafiar todas as criaturas, que incluem as fadas madrinhas de Aurora, na igreja para que sejam todos aniquilados. Os guardas trancam e isolam todas as saídas, enquanto Gerda (serva de Igrith vivida por Jenn Murphy) se posiciona em um grande órgão, que solta um gás letal para as criaturas, transformando-as em vegetação. Os fãs de Game of Thrones naturalmente se lembraram de um dos eventos mais devastadores de toda a série da HBO: o Casamento Vermelho, e é impossível não notar as semelhanças.

Assim como em Malévola, o Casamento Vermelho representava uma armadilha da família Lannister para Robb Stark e seus aliados. Após a cerimônia de casamento, Robb, sua mãe Catelyn, sua esposa e todos os seus companheiros foram brutalmente assassinados pelas tropas de Walder Frey. As duas obras têm grandes aproximações, principalmente por ambos os planos contarem com: a) a presença forte do vermelho (o gás do órgão) e b) a presença de um instrumento musical, onde o Casamento Vermelho é marcado pelos músicos tocando The Rains of Castamare.

Quem diria que, no meio do tedioso Malévola: Dona do Mal, Game of Thrones viria à mente? O tédio é capaz de provocar conexões curiosas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio