Após o fim de Game of Thrones, várias séries querem assumir o posto da produção da HBO, tanto em sucesso financeiro quanto em relevância cultural. A tarefa é difícil, já que a maneira como as pessoas consomem conteúdo mudou muito desde o lançamento da trama de Westeros. Mesmo assim, The Witcher é uma boa candidata ao título.

A série da Netflix tem o elenco encabeçado por Henry Cavill, e sua trama é baseada nos livros de fantasia de Andrzej Sapkowski, que também foram utilizados como base na criação do game The Witcher.

Com várias semelhanças com Game of Thrones, a nova produção da Netflix também é ambientada em um mundo fictício marcado pela magia, violência, intrigas políticas e personagens cativantes.


O mundo de The Witcher

A saga de The Witcher traz um panorama histórico centrado em um misterioso império continental originalmente fundado por Elfos, mas atualmente controlados pelos humanos. Por milênios, o universo foi formado para adequar os emocionantes eventos descritos nos livros de Sapkowski.

Naturalmente, com um mundo cheio de criaturas e humanos, comparações com Game of Thrones são inevitáveis. Ao invés de investir em rivalidades de casas e famílias, The Witcher traz como principal conflito a guerra entre o Império Nilfgaard e os Reinos do Norte.

Personagens interessantes

The Witcher é protagonizado por Geralt, o personagem de Henry Cavill. Membro de uma importante ordem de guerreiros, ele usa suas impressionantes habilidades para derrotar monstros e criaturas sobrenaturais.

Yennefer, a sarcástica feiticeira interpretada por Anya Chalotra, também será importantíssima para a condução da saga.

Embora alguns arquétipos sejam parecidos com os de personagens de Game of Thrones, The Witcher deve apresentar seus personagens de maneira original e excitante.

Monstros

Em Game of Thrones, a magia nunca foi um dos pontos principais da série, sendo colocada sempre no background, com a introdução dos Dragões, Caminhantes Brancos e feiticeiras como Melisandre. Ainda assim, o foco principal da série continuou sendo a guerra e as intrigas políticas.

Em The Witcher, no entanto, o mundo das criaturas mágicas será parte essencial da trama. Entidades como fantasmas, trolls, aranhas gigantes e súcubos são comuns, isso sem falar que o continente no qual a série é ambientada foi fundado por Elfos.

Batalhas

Assim como Game of Thrones, The Witcher deve contar com várias batalhas impressionantes. A Netflix está investindo muito dinheiro na série, e o orçamento deve ser revertido para cenas grandiosas com grandes efeitos especiais.

Em The Witcher, a guerra é uma realidade. O conflito entre o Império Nilfgaard e os Reinos do Norte já acontece há muito tempo, e deve vir como um dos aspectos mais importantes da trama.

Será possível?

Mesmo com uma produção extremamente ambiciosa, é provável que The Witcher não consiga superar Game of Thrones. Isso não significa que o projeto será ruim, muito pelo contrário. Porém, tentar se tornar “a nova Game of Thrones” é uma missão quase impossível por um simples motivo.

A maneira como o público consome programas de TV mudou completamente nos últimos anos, e Game of Thrones era o último exemplo de uma série de sucesso monumental que estabeleceu sua premissa há quase uma década e manteve o interesse do público até o final. O fato de a série ser transmitida pela HBO e alcançar o sucesso que alcançou no mundo dos streamings, é mais do que prova deste aspecto.

The Witcher também tem outro desafio: construir uma série madura que consiga introduzir sutilmente conceitos mágicos e sobrenaturais, sem se tornar piegas ou clichê. Agora, é esperar para ver.

The Witcher chegou a Netflix em 20 de dezembro e já foi renovada para sua segunda temporada.