O MCU está se preparando para uma nova era de filmes e programas de TV, e o título mais importante em sua próxima fase 4 pode ser Doutor Estranho no Multiverso da Loucura, pois tem o potencial de mudar completamente o MCU. A Marvel constrói seu universo conectado há um pouco mais de uma década, começando com Homem de Ferro em 2008.

A primeira onda de filmes, conhecida como “a Saga do Infinito”, chegou ao fim recentemente depois de atingir seu pico com Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores: Ultimato, com Homem-Aranha: Longe de Casa como o capítulo final.

Agora, a Marvel está pronta para seguir em frente com a altamente aguardada Fase 4, que apresentará novos personagens (como Eternos e Shang-Chi) e continuará as histórias de outros (como Thor e Homem-Aranha). A Fase 4 abrigará Doutor Estranho no Multiverso da Loucura, uma sequência do filme de Scott Derrickson em 2016, Doutor Estranho.


O filme terá Derrickson de volta como diretor, bem como Benedict Cumberbatch reprisando seu papel como o Feiticeiro Supremo. O tom do longa-metragem deve ser bem diferente de outras produções da Marvel.

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura terá uma conexão direta com os programas da Marvel no Disney+, principalmente WandaVision, pois Feiticeira Escarlate foi confirmada para aparecer no filme. Da maneira típica da Marvel, os detalhes da trama ainda não foram revelados, mas pelo que se sabe até agora sobre o segundo filme de Doutor Estranho, tudo indica que mudará completamente o MCU.

A real introdução do multiverso

Como o título diz, Doutor Estranho 2 irá apresentar e explorar o multiverso da Marvel. Nos quadrinhos, o multiverso é uma coleção de universos alternativos com uma natureza semelhante e uma hierarquia universal.

Cada universo ou continuidade é uma realidade única, como o universo principal da Marvel, embora estes não devam ser confundidos com “dimensões”. Por exemplo, personagens como Odin vêm de dimensões separadas como as da Terra, mas ainda fazem parte do Universo-616.

Alguns desses universos nasceram devido à viagem no tempo, onde uma única realidade se divide em duas realidades quase idênticas ao atingir um determinado ponto no tempo – a partir de então, um evento ocorre de maneira diferente em cada realidade divergente. Cada universo pode ter seu próprio Feiticeiro Supremo, por exemplo.

No MCU, no entanto, o multiverso refere-se à coleção de dimensões contidas em um universo, neste caso, a Terra-199999. Assim, configurações como o Reino Quântico e as dimensões astral e espelhada fazem parte do multiverso.

Esta coleção foi indicada em Homem-Formiga, que apresentou o Reino Quântico, mas não foi formalmente apresentada até Doutor Estranho, que levou os espectadores a um passeio breve, porém desagradável, por algumas dimensões. No entanto, o multiverso como é, com suas muitas possibilidades, cenários e ameaças, ainda não foi mostrado – mas isso mudará em breve.

Embora o MCU já tenha mostrado algumas das dimensões contidas no multiverso, há muito mais a ser explorado, o que abre muitas portas para a equipe por trás de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura e na Marvel em geral. Essas dimensões não devem ser exclusivas para Doutor Estranho, pois há muito potencial para serem incluídas em futuros filmes do MCU e se tornarem um elemento-chave nessa nova era de filmes e programas de TV.

As Joias do Infinito eram o núcleo da “Saga do Infinito”, e o multiverso com todas as suas possibilidades pode ser o mesmo na Fase 4 e além.

Mutantes e vampiros

Entre algumas das vantagens mais empolgantes da Marvel em termos de multiverso, está o fato de poder trazer outros personagens que não poderiam ser introduzidos antes por diferentes razões. Graças à fusão entre Disney e Fox, os mutantes (entre outros) agora vivem na Disney, e a Marvel poderia usar o multiverso como o caminho para levar os X-Men ao MCU.

Os mutantes estão confirmados para ingressar no MCU, mas não se sabe quando e como. Mas os mutantes não são os únicos personagens que poderiam se beneficiar da exploração do multiverso – os vampiros também poderiam usá-lo em seu proveito.

Na Marvel Comics, os vampiros são cadáveres humanos magicamente reanimados, habitados pelos espíritos da pessoa falecida, e se assemelham ao humano vivo que eram antes de sua transformação. Como os vampiros tradicionais, eles se alimentam do sangue dos vivos e podem transformar outros humanos dos quais se alimentaram graças às enzimas transportadas na saliva do vampiro.

Esses personagens podem convocar e controlar certas criaturas, além de se transformarem em morcegos, possuem o poder da hipnose e, na maioria dos casos, são capazes de se curar rapidamente. Obviamente, eles também têm pontos fracos, como a luz do sol, aversão a símbolos religiosos, prata e madeira, entre outros.

Os vampiros também podem ser derrotados através da magia, graças a encantamentos como a Fórmula de Montesi, usada pelo Doutor Estranho para destruir todos os vampiros.

A introdução de vampiros através do multiverso também ajudaria a configurar Blade, um dos personagens confirmados que chegará ao MCU em um futuro próximo, provavelmente na Fase 5. Ou, se a Marvel estiver se sentindo aventureira, eles poderiam ir tão longe quanto apresentar os dois, abrindo caminho para filmes futuros terem os mutantes ou os vampiros como parte de suas histórias.

Moldando a Fase 4

Embora o MCU seja conhecido principalmente por seus filmes, programas de TV também estão incluídos nele. Os programas da Marvel na Netflix também fazem parte e, apesar de reconhecerem os eventos dos filmes, eles nunca tiveram uma conexão com eles.

Isso mudará com os próximos programas da Marvel no Disney+, que se vincularão diretamente aos filmes futuros, como é o caso de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura e das séries WandaVision e Loki. Como mencionado acima, Feiticeira Escarlate aparecerá em Doutor Estranho 2, e os eventos de sua série afetarão os do filme.

Kevin Feige também confirmou que Loki se unirá a Doutor Estranho 2, que se encaixa no tema do multiverso, já que na última vez que os fãs viram Loki, ele escapou com o Tesseract em 2012, criando assim uma nova linha do tempo. O filme servirá como um ponto de encontro para Feiticeira Escarlate e Loki, personagens que mexeram com a realidade e os universos à sua maneira.

E se introduzir personagens como os mutantes ou vampiros, Doutor Estranho no Multiverso da Loucura será o filme que define a Fase 4 do MCU e além, além de definir a chegada de novatos como Blade, o Quarteto Fantástico e o X-Men. Os eventos nele certamente influenciarão as futuras temporadas das séries mencionadas, então Doutor Estranho 2 é uma entrada definitiva na nova era do MCU.

Um novo tipo de história

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura foi indicado como o primeiro filme de terror no MCU, que é um gênero inexplorado neste universo. A criação de linhas do tempo e universos alternativos após Vingadores: Ultimato, juntamente com todos os cenários que ainda não foram explorados ou indicados, são a oportunidade perfeita para a Marvel adicionar um pouco de horror à sua mistura.

Antes de ingressar no MCU, o diretor de Doutor Estranho 2 escreveu e dirigiu filmes de terror como Hellraiser: Inferno, O Exorcismo de Emily Rose e Sinistro, então ele não é um estranho ao gênero. Com Blade ingressando no MCU, o lado de horror de Doutor Estranho 2 pode ajudar a facilitar a transição para um caminho orientado para o terror, ajudando Blade, pois os espectadores já terão uma ideia do que esperar.

Explorar um novo gênero também abrirá mais possibilidades para outros personagens, não apenas Doutor Estranho, Blade e os mutantes – e, dada a conexão direta entre filmes e programas de TV, a vibe de terror também pode ser traduzida para a televisão em algum momento. O MCU está (finalmente) tentando coisas novas com a Fase 4 e mais além, e Doutor Estranho no Multiverso da Loucura pode ser aquele que lidera as fases futuras do MCU, se feito corretamente.