Marvel revela passado e família da Viúva Negra em 1º trailer de filme

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Presente no Universo Cinematográfico da Marvel Studios há quase 10 anos, desde que fez sua estreia em Homem de Ferro 2, a Viúva Negra de Scarlett Johansson finalmente ganhará seu filme solo. E, nesta terça-feira (2) os fãs tiveram uma inesperada primeira olhada com o trailer oficial, lançado durante a madrugada. Analisando a prévia, não traz nada de muito diferente do que a expectativas anteriores.

O longa claramente é um prelúdio. Afinal, Natasha Romanoff se sacrificou em Vingadores: Ultimato, permitindo que os heróis recuperassem uma das Joias do Infinito para derrotar Thanos. Dito isso, foi revelado que Viúva Negra se passa entre os eventos de Capitão América: Guerra Civil e Vingadores: Guerra Infinita, período em que os heróis se separaram e boa parte deles precisou fugir em anonimato – Natasha, inclusive.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Casos de família

É aqui onde o trailer dedica boa parte de seu material, mostrando o reencontro de Natasha com figuras marcantes de seu passado, e que são reveladas como sua família. A primeira delas é a Yelena Bolova de Florence Pugh (Midsommar: O Mal Não Espera a Noite), que é descrita pela protagonista como “irmãzinha”. Nos quadrinhos, e certamente no filme, Yelena passou pelo mesmo treinamento da Viúva Negra na Sala Vermelha, indicando que a relação “de irmãs” provavelmente não é de sangue, mas sim de convivência pelo cruel processo russo que garantiu a elas suas habilidades de combate.

Mais para frente, o adorado David Harbour (Stranger Things) aparece como Alexei Shostakov, que adota a identidade do Guardião Vermelho – personagem que, nos quadrinhos, é a versão russa do Capitão América. Como as produções da Marvel Studios sempre se deixam levar pelo pastelão, Alexei está bem mais gordo e até temos piadas quando ele desajeitadamente coloca seu velho uniforme. Ele e a Viúva Negra já foram amantes e inimigos nos quadrinhos, mas a posição da cena aqui – que também traz a misteriosa Melina, vivida por Rachel Weisz (A Favorita) indica uma relação amistosa e – novamente – familiar, como é reforçada por Alexei em um “jantar” que traz ainda Natasha e Yelena.

Certamente teremos elementos para tornar a personagem de Natasha Romanoff mais interessante, assim como expandir sua mitologia. Inclusive, uma cena traz o General Everett Ross de William Hurt (O Incrível Hulk) nitidamente rejuvenescido com efeitos visuais, indicando que a história pode envolver flashbacks ainda mais distantes no passado da heroína – inclusive, temos um vislumbre de Budapeste, que sempre foi um evento mencionado por Natasha e seu melhor amigo, o Gavião Arqueiro de Jeremy Renner.

Máquina do MCU

Mas falando em termos estéticos, Viúva Negra parece seguir o mesmo padrão genérico do MCU. O cinza domina, os tons de preto da fotografia são baixíssimos e o estilo de luta introduzido pelos irmãos Joe e Anthony Russo em Capitão América: Soldado Invernal parece dominar os combates corporais. Paralelamente, o tom mais realista entre em choque com os oponentes espalhafatosos (a internet realmente detestou o visual do Treinador, mais apropriado a uma série dos Power Rangers) e o CGI surpreendentemente excessivo em uma cena grandiloquente que traz de volta o clichê de “coisas caindo do céu” do MCU. Quem esperava uma aventura menor e mais violenta, vai ficar chupando o dedo.

Plasticamente, parece uma produção pouco inspirada, ainda mais quando a cineasta Lucrecia Martell revelou que a Marvel não a deixaria conduzir as cenas de ação. O nome de Cate Shortland pode estar na direção, mas agora fica aquela pulga atrás da orelha gritando que todas as cenas de ação vistas aqui foram idealizadas e planejadas por outras pessoas – antes mesmo da produção ter início. A máquina continua.

Viúva Negra chega aos cinemas brasileiros em 30 de abril de 2020.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio