Publicidade

Netflix modificou a verdadeira história de Dois Papas – descubra a verdade

Publicado por Alexandre Guglielmelli

20/12/2019 20:30

Dois Papas tem tudo para se tornar um dos maiores sucessos críticos da Netflix em 2019. Produzido pelo brasileiro Fernando Meirelles, o longa protagonizado por Anthony Hopkins e Jonathan Pryce chegou à plataforma nesta semana.

O filme imagina uma série de encontros e reuniões entre o Papa Bento XVI e Jorge Mario Bergoglio, que veio a se tornar o Papa Francisco no futuro.

Embora os encontros dos sacerdotes tenham sido em sua maioria criados especialmente para o filme, a história e os temas que permeiam o filme são reais.

Confira abaixo o que é real e como a Netflix mudou a história de Dois Papas.

Os encontros

Em Dois Papas, os personagens da vida real não são caracterizações biográficas dos religiosos, mas sim ferramentas metafóricas para o entendimento de grandes questões filosóficas sobre a Igreja Católica e sua importância. Assistido desta forma, o filme faz bem mais sentido do que visto como uma cinebiografia.

Na vida real, o Papa Bento XVI nunca se encontrou com o Cardeal Bergoglio para discutir sua abdicação ou encorajá-lo a concorrer ao próximo Papado. A reunião também é utilizada no filme parar mostrar Bergoglio entregando sua renúncia como bispo, algo que é negado por Bento XVI.

De acordo com a revista American Magazine, Papa Bento XVI e Bergoglio provavelmente se encontraram em Roma, mas não da maneira mostrada em Dois Papas.

O cisma

Um dos principais temas de Dois Papas é uma divisão interna da Igreja Católica, com cada protagonista representando um lado da discussão.

Papa Bento XVI defendia o tradicionalismo. O religioso lutava por um retorno aos fundamentos básicos do catolicismo, frente ao crescimento da cultura secular no mundo. Sua posição era refletida em seus trajes: suntuosos e ostentativos, representando a glória e poder da Igreja.

Bergoglio, por outro lado, era visto por muitos como “um homem do povo”. O clérigo argentino recusava as demonstrações obscenas da riqueza da Igreja, preferindo levar uma vida simples e passar uma mensagem de amor, esperança e união aos povos.

Dois Papas também reflete sobre o papado de Bento XVI, marcado pela indiferença dos fieis à sua mensagem e presença, vista como entediante, antiquada e desinteressante. A administração de Bento XVI também contou com vários escândalos, incluindo um grande vazamento de documentos secretos, ocorrido em 2007.

Fatos reais

Como já foi dito, a maioria dos eventos de Dois Papas são inventados para dar fluidez a uma reflexão sobre aspectos teológicos da Igreja Católica e a relevância de organizações religiosas na atualidade.

Certos momentos, no entanto, são verdadeiros em seu ínterim, salpicados com detalhes inventados.

Por exemplo: Bergoglio era realmente um torcedor apaixonado pelo time San Lorenzo, porém ele nunca assistiu a Argentina derrotar a Alemanha na Copa do Mundo na companhia de Bento.

No filme o passado de Bergoglio na Argentina ganha destaque, e a origem de Bento XVI é deixada de lado. Mesmo assim, o filme faz referência à participação de Ratzinger na Juventude Hitlerista na época da Segunda Guerra.

Dois Papas já está disponível na Netflix.

Publicidade