Por que mãe de Rey em Star Wars 9 é tão familiar? Veja de onde você conhece a atriz

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após meia década de construção, Star Wars: A Ascensão Skywalker finalmente apresentou os pais de Rey (Daisy Ridley) – um dos quais é um rosto familiar para os fãs de televisão de prestígio.

Em Star Wars: Os Últimos Jedi, de 2017, o diretor e roteirista Rian Johnson fez a escolha ousada – e, para alguns, impopular – de revelar que os pais de Rey eram “ninguém”, em uma fala entregue com uma língua afiada por Kylo Ren (Adam Driver). Entrando em Star Wars: A Ascensão Skywalker, muitos fãs pensaram que talvez o diretor J.J. Abrams reverteria o curso, dado que ele iniciou a trilogia com Star Wars: O Despertar da Força, de 2015, e parecia estabelecer muitas perguntas sobre o verdadeiro parentesco de Rey.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os fãs de Star Wars em todo o mundo esperavam obter uma resposta sobre quem Rey realmente é em Star Wars: A Ascensão Skywalker, e eles certamente receberam.

Em Star Wars: A Ascensão Skywalker, Kylo Ren, mais uma vez, lança uma enorme bomba sobre os pais de Rey, mas esta é bastante inesperada: os pais de Rey não eram genuinamente “ninguém” – eles estavam simplesmente fingindo ser para que sua filha pudesse ficar segura e escondida do Império. Por acaso, o pai de Rey era filho do líder dos Sith, o Imperador Palpatine (Ian McDiarmid), e quando as forças de Sith tentaram determinar o paradeiro de Rey de seus pais depois que a deixaram em Jakku, os dois foram executados.

Isso faz com que o Imperador Palpatine, que na verdade queria manter Rey viva, pudesse passar para ela seu espírito e os dos Sith antes dele, sendo avô de Rey.

Mas e a mãe de Rey? Como a metade da equação não-Palpatine, não se sabe muito sobre a personagem – mas se você é fã de séries de TV, definitivamente já viu a mulher que a interpreta antes.

Em uma pequena participação especial em Star Wars: A Ascensão Skywalker, a mãe de Rey é interpretada por Jodie Comer, a atriz inglesa de 26 anos cuja fama está se espalhando pelo mundo graças ao seu papel premiado em um dos programas mais aclamados da década.

Eis por que Jodie Comer – a mãe de Rey em Star Wars: A Ascensão Skywalker – parece tão familiar.

O humilde começo de Jodie Comer

Depois de começar no teatro como jovem atriz, Jodie Comer teve uma série de trabalhos estranhos – inclusive como garota de caixa na cadeia de supermercados da Tesco da Grã-Bretanha -, antes de finalmente aparecer em seu primeiro programa de televisão em 2008, The Royal Family. A partir daí, Comer passou a aparecer em programas como Law & Order: UK, Vera, Doctors, Casualty e muito mais, além de estar em My Mad, Fat Diary, em 2013.

Baseada no romance de Rae Earl, My Fat, Mad Teenage Diary, de Rae Earl, a série apresentou Comer como Chloe Gemell – a popular e melhor amiga de infância da personagem principal da série, Rachael “Rae” Earl, interpretada por Sharon Rooney. No geral, My Mad, Fat Diary recebeu elogios da crítica e até várias indicações ao BAFTA, colocando Comer no caminho do estrelato.

A rainha das minisséries

A partir daí, Jodie Comer construiu seu currículo aparecendo em várias minisséries aclamadas produzidas pela BBC, incluindo Thirteen (que rendeu a Comer uma indicação de Melhor Atriz no British Academy Television Awards) e Rillington Place. Algumas das séries acabaram sendo transmitidas nos Estados Unidos, onde Comer agora é um grande nome (mais sobre isso daqui a pouco).

Comer não era estranha a dramas históricos e peças de época. Em 2015, ela apareceu em uma adaptação do romance clássico de Lady Chatterley, Lover, na BBC, mas The White Princess, de 2017, foi o primeiro grande passo em sua carreira.

Uma sequência da minissérie da BBC e Starz, The White Queen – que contou com Rebecca Ferguson como Elizabeth Woodville, uma plebeia que se casa com o rei Edward IV e se torna rainha -, The White Princess conta a história de Elizabeth de York, filha de Edward e Woodville que se casa com Henry Tudor e acaba sendo mãe de Henrique VIII, um dos mais sangrentos e mais famosos monarcas da Inglaterra.

The White Princess deu a Comer a chance de mostrar seu alcance considerável, enquanto Elizabeth cresce, de certa maneira sem vontade, ao trono ao lado de seu novo marido, que é considerado pela maioria um usurpador. Mas mesmo aqueles que acompanhavam Jodie Comer há anos não estavam preparados para o que estava por vir para a vibrante jovem atriz.

Um papel impressionante em Killing Eve

O papel mais importante da carreira de Jodie Comer chegou pouco depois de The White Princess. Em junho de 2017, ela interpretou o papel de assassina e psicopata russa Villanelle (nome real: Oksana Astankova) na série da BBC, Killing Eve.

No programa, criado por Phoebe Waller-Bridge, de Fleabag, Villanelle é uma fabulosa, mas assustadora, assassina que desenvolve um fascínio por Eve Polastri (Sandra Oh), uma agente do MI6 que rastreia seu paradeiro. Enquanto as duas mulheres poderosas se caçam – deixando um rastro sangrento -, o drama e a conexão entre elas só se aprofundam.

Comer venceu mais de 100 outras atrizes para ganhar o papel de Villanelle, e seus esforços claramente renderam muita generosidade. Graças ao seu desempenho assustador e impressionante – que também exige o uso de vários sotaques e idiomas -, Comer subiu à fama, ganhando um lugar na lista de estrelas em ascensão do Hollywood Reporter em 2018.

Comer e Oh ganharam vários prêmios por Killing Eve. Oh ganhou um Globo de Ouro de Melhor Atriz em Série de Drama em 2018, um SAG Award em 2019 e vários Emmy.

Quanto a Comer, ela conquistou o prêmio de melhor atriz principal em uma série dramática no Emmy Awards de 2019. A própria Comer e a série como um todo também receberam indicações para o Globo de Ouro de 2020, que será exibido em 5 de janeiro de 2020.

É claro que Comer aparecerá na terceira temporada de Killing Eve. Ainda não há data de lançamento, mas até agora, o programa adicionou outros rostos familiares ao elenco, incluindo Gemma Whelan, de Game of Thrones, e Dame Harriet Walter, de Succession.

Onde ela estará a seguir?

Agora que Comer ganhou fama e elogios o suficiente para conseguir uma participação especial em Star Wars, ela pode ir para onde quiser – e seu próximo papel promete bastante.

Em julho de 2020, Comer aparecerá em Free Guy, de Shawn Levy, ao lado de um elenco repleto de estrelas que inclui Ryan Reynolds, Taika Waititi, Joe Keery, Lil Rey Howery e mais. O filme se concentra em um personagem de videogame, Guy (Reynolds), que precisa descobrir como decifrar o código do jogo antes que seu mundo inteiro seja apagado.

A estrela de Comer está claramente em ascensão – e apesar de seu pequeno papel como mãe de Rey em Star Wars: A Ascensão Skywalker, fãs de Killing Eve, The White Princess e qualquer um de seus papéis menores já prestam atenção nela há mais tempo. O papel de mãe de Rey foi breve, mas também incrivelmente essencial, então, no final, faz sentido que uma atriz tão boa a tenha interpretado.

Star Wars: A Ascensão Skywalker está em cartaz nos cinemas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio