A série The Walking Dead se desviou dos quadrinhos de Robert Kirkman de várias maneiras importantes. Uma das mudanças mais expressivas é o destino de Carl, o filho de Rick Grimes.

Na série, o personagem de Chandler Riggs é infectado por um zumbi e morre após se despedir dos entes queridos. Nas HQs, o personagem é um dos últimos sobreviventes do grupo original, e o capítulo final da saga é contado sob sua perspectiva.

Segundo o site Screen Rant, o maior erro de The Walking Dead na TV foi ter se livrado de Carl tão cedo. Confira os motivos apresentados pelo site abaixo!


Essencial para a história

Rick Grimes pode ter sido por muito tempo o protagonista inegável de The Walking Dead, mas Carl sempre esteve perto dos holofotes.

Do momento em que ele conforta o pai em um colapso mental à chocante cena em que leva um tiro no olho, Carl sempre foi uma testemunha importante das histórias mais icônicas de The Walking Dead.

Carl se desenvolve, mentalmente e fisicamente. De um garoto tímido, medroso e descuidado, o personagem se torna um grande sobrevivente, que consegue equilibrar a crueldade do novo mundo com um coração bom e caridoso.

O arco do personagem mostra perfeitamente o que pode acontecer com alguém que crescem em meio a massacres e grandes atos de violência.

A importância narrativa de Carl é comprovada pela presença do personagem no capítulo final da série. Identificado por Robert Kirkman como seu personagem preferido, Carl conta o epílogo da saga como um homem maduro, pai de família e figura respeitada em sua comunidade.

Além disso, o personagem desenvolve um papel importante no arco dos Sussurradores e da Commonwealth, algo que nunca acontecerá na série de TV.

A saída de Chander Riggs

Todas as adaptações de HQs tem uma desvantagem: atores de carne e osso. Isso significa que o destino dos personagens pode ser decidido pelos intérpretes.

No caso de Andrew Lincoln, Rick Grimes deixou The Walking Dead pois o ator se cansou após 10 anos interpretando o mesmo personagem.

Chandler Riggs, o intérprete de Carl, não tinha nenhuma intenção de deixar The Walking Dead tão cedo. O ator afirmou ter ficado tão surpreendido quanto os fãs pelo destino de seu personagem.

Supostamente, a AMC demitiu Chandler Riggs para não pagar um salário completo de ator adulto. A emissora, obviamente, sempre negou a teoria.

Sem importância

Matar um personagem cujo intérprete não queria deixar a série pode ser justificado se a morte avançar a trama da história ou do arco do personagem. No caso de Carl Grimes, isso não aconteceu.

Para começar, os reflexos iniciais da morte de Carl foram mal aproveitados. Rick ficou triste no início, mas superou o fim trágico do filho rapidamente para enfrentar Negan. Comparada com a morte de Lori, por exemplo, a morte de Carl não parece ter causado grande impacto nos personagens.

Em um ponto de vista mais amplo, a morte de Carl não causou grandes mudanças na trama de The Walking Dead. O resultado deveria vir durante e confronto entre Rick e Negan, no qual a mensagem de paz de Carl vence e Rick poupa a vida do vilão.

Nas HQs, Carl não precisou morrer para isso acontecer. Rick tomou a mesma decisão, porém como desenvolvimento de sua própria personalidade.

Nos episódios mais recentes de The Walking Dead, a mensagem da morte de Carl ficou ainda mais sem sentido. Após o desaparecimento de Rick, Alexandria se isolou, Carol matou os Salvadores e relacionamentos foram rompidos.

The Walking Dead retorna com novos episódios em fevereiro de 2020.