Cuidado! Spoilers de Drácula, da Netflix.

Drácula, da Netflix/BBC começou intrigando fãs por todo o mundo, mas o final da minissérie de três capítulos consegue desagradar mais do que o final de Game of Thrones, da HBO.

Subvertendo a obra original escrita por Bram Stoker, Drácula traz a trama para o ano de 2020, mas falha em amarrar a narrativa de forma coerente e satisfatória.


Em um artigo, o CBR comparou o final desastroso de Drácula com o também controverso final de Game of Thrones.

Final sem força

Game of Thrones foi muito criticada por sua trama corrida nas duas temporadas finais. A série parecia ter pressa para chegar ao fim, e por isso, diversos eventos importantes da trama foram cortados.

Mesmo assim, o destino final de personagens como Jon, Arya e Sansa parecia ao menos coerente. O problema foi a jornada.

Em Drácula, os problemas são parecidos, mas o terceiro episódio da série é tão incoerente que ele mal se conecta ao tom e a temática dos dois primeiros.

Não há problema em tentar trazer Drácula para um cenário mais moderno. O problema está em fazer isso de forma rápida e sem desenvolvimento, como a série da Netflix fez.

É ridículo ver Drácula preso, é ridículo vê-lo escapando – e usando aplicativos de relacionamento para atrair vítimas – e até a redenção de Vlad é forçada.

No fim, você não sente que Drácula se redimiu como herói, nem morreu como um vilão trágico. O personagem beira a indiferença, e isso é a pior coisa que pode acontecer em uma história.

Em Game of Thrones, os personagens ao menos chegaram em lugares que significavam algo. Drácula falhou totalmente, e entregou um final sem alma e sem inspiração.

Drácula está disponível na Netflix.