A revelação de que Palpatine retornaria em Star Wars: A Ascensão Skywalker deixou os fãs surpresos e um pouco confusos. Após as tentativas de Star Wars: Os Últimos Jedi de “esquecer o passado”, ressuscitar o Imperador 36 anos após sua aparente morte em Star Wars: O Retorno de Jedi sinalizou um abraço reconfortante da nostalgia.

Mas, mais do que isso, criou um emaranhado de perguntas – para não falar das teorias dos fãs – sobre como o verdadeiro vilão das duas primeiras trilogias sobreviveu à sua queda no núcleo de poder da segunda Estrela da Morte e a subsequente destruição da estação de batalha.

No entanto, Star Wars: A Ascensão Skywalker nunca puxa a cortina para trás em sua premissa. A “ameaça de vingança” transmitida por toda a galáxia por Palpatine é mencionada apenas na abertura e para ouvir, os fãs tiveram que se sintonizar em um evento de Fortnite.


O que levou o Imperador e a galáxia a esse “dia da vitória” é ignorado pelos produtores.

Informações excluídas

Em uma entrevista recente, a editora de Star Wars: A Ascensão Skywalker, Maryann Brandon, revelou que o filme originalmente tinha “um pouco mais de informação sobre o que estava mantendo Palpatine vivo, mas parecia um desvio de assunto”.

No entanto, ela disse: “Havia muita informação no filme e tantos personagens que queríamos que o público se concentrasse. Acho que sentimos que não queríamos desorganizar o filme com coisas que você não precisava saber.”

O problema disso é que uma explicação razoável para a premissa do filme – que um personagem-chave que aparentemente estava morto há três décadas na verdade está vivo e que secretamente manipula eventos o tempo todo – não é “desvio de assunto”. É algo que os espectadores precisam saber, pelo menos em termos gerais.

Descartar essa informação como uma mera “desordem” deixa um buraco no enredo do tamanho de uma Estrela da Morte que é difícil de ignorar. Até mesmo George Lucas considerou Palpatine como “absolutamente morto”.

Star Wars certamente não é estranho à exposição, mas desta vez os produtores acreditavam que uma informação essencial necessária para suspender a descrença só atrapalhava. O texto de abertura da franquia é frequentemente forçado a realizar trabalhos pesados, configurando tudo, desde uma guerra civil galáctica, uma disputa comercial bizantina e a ascensão da Primeira Ordem.

Mas as palavras de abertura de Star Wars: A Ascensão Skywalker não precisam apenas cobrir a passagem do tempo desde Star Wars: Os Últimos Jedi, mas devem tecer uma premissa totalmente nova em apenas 23 palavras que altera tudo o que o público sabe sobre os dois filmes (além de O Retorno de Jedi) que o precederam. Tal mudança de tremer a terra exige pelo menos alguma explicação na própria história.

O Palpatine que estava em Star Wars: O Retorno de Jedi era um clone? De alguma forma ele aprendeu uma forma de teletransporte? Apenas mostrar um laboratório contendo clones de Snoke não é suficiente.

Sem mencionar que Palpatine não apenas sobreviveu, ele manipulou eventos há mais de 30 anos, guiou Snoke e a Primeira Ordem, usou jogos mentais em Kylo Ren, tratou de seu próprio legado familiar com Rey e, ao mesmo tempo, criou um novo exército conhecido como Ordem Final.

Isso é muito a ser descompactado, e essa lacuna é inaceitável, porque parece que Palpatine foi simplesmente abordado como se nada tivesse acontecido. Cortar como o principal antagonista de, agora, três trilogias foi revivido não é criar um espaço para o público imaginar o enredo em suas mentes, é dizer aos fãs que eles devem aceitar o que é jogado neles.

Furo imperdoável

Se Darth Vader ou Luke Skywalker retornassem misteriosamente, os fãs não dormiriam até saberem. Portanto, a explicação de Brandon, de tal modo que é, aponta para as fraquezas da trilogia de sequências.

Se os produtores queriam o tempo todo trazer de volta Palpatine, as pistas precisavam ser plantadas em filmes anteriores. Na falta disso, Star Wars: A Ascensão Skywalker precisava pelo menos explicar.

Por fim, não é como Snoke ser morto, deixando os fãs com mais perguntas do que respostas sobre sua origem. Essa era uma tela em branco semelhante, mas Snoke não tinha a história de franquia de décadas de Palpatine.

Cabia aos produtores contar aos fãs sua enorme reviravolta, e não simplesmente ignorar uma explicação importante.

Star Wars: A Ascensão Skywalker está em cartaz nos cinemas.