Além de proporcionar um final épico para a Saga do Infinito no MCU, Vingadores: Ultimato mostrou a morte de alguns dos heróis e vilões mais icônicos da Marvel. Fãs se despediram de personagens que povoaram os filmes da companhia por uma década.

Diferentemente de Vingadores: Guerra Infinita, Ultimato conta com menos mortes de personagens. O primeiro filme terminou com metade do universo sendo reduzida a pó pelo estalo de Thanos, incluindo vários Vingadores e aliados.

Em Ultimato, as mortes foram minuciosamente calculadas para um maior impacto com o público. Todas elas foram intencionais, acontecendo por sacrifícios de diversas formas diferentes.


Uma destas mortes é a do Homem de Ferro, que realiza o sacrifício final para deter as forças de Thanos e salvar a humanidade.

O site Screen Rant revelou um detalhe que torna o fim de Tony Stark ainda mais trágico, especificamente para o Homem-Aranha.

Confira abaixo!

Questão de percepção

A morte do Homem de Ferro foi devastadora, especialmente para aqueles com os quais o herói interagiu com mais frequência: Pepper Potts, Happy Hogan, Rhodey e, é claro, o Homem-Aranha.

O fim do herói assumiu uma dimensão ainda mais triste para Peter Parker. Enquanto para os heróis que sobreviveram ao estalo de Thanos se passaram 5 anos, para o Aranha apenas algumas horas transcorreram desde sua “morte” ao fim trágico de Tony Stark.

Sendo assim, o Homem-Aranha foi com o mentor para Titã, lutou contra Thanos, foi vítima do estalo, morreu e retornou para presenciar a morte do grande mentor.

Os dois não tiveram a oportunidade de conversar melhor sobre tudo que aconteceu, e Tony não conseguiu dizer para Peter que sempre enxergou o jovem como um verdadeiro filho.

Homem-Aranha já tem mais um filme confirmado na Marvel.