A mais recente adição ao DCEU, Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa pode não estar arrecadando tanto nas bilheterias tanto quanto a Warner Bros. esperaria, mas o filme ainda é um sucesso com os críticos. De fato, o filme faz muitas coisas certas, desde tirar Arlequina da sombra do Coringa até colocar o foco em um grupo de super-heroínas fora do olhar masculino.

E, além de tudo isso, o filme oferece algumas sequências de ação surpreendentes. De certa forma, isso era esperado.

Afinal, durante a produção, foi relatado que o diretor de John Wick, Chad Stahelski, foi trazido para o filme para reforçar as cenas de ação. Essas refilmagens parecem ter valido a pena, com cenas de ação de Aves de Rapina sendo contundentes e realmente impressionantes.


De fato, o filme não oferece apenas surpreendentes cenas de luta – apresenta, sem dúvida, a melhor cena de luta do DCEU até agora.

Cenas épicas

Desde o seu nascimento, o DCEU apresenta algumas cenas verdadeiramente épicas. Superman e a devastadora briga com Zod em Metrópolis; Mulher-Maravilha luta contra soldados alemães; o confronto da Família Shazam com os Sete Pecados Capitais; os duelos de Aquaman com Orm – que deixaram os fãs admirados.

Mas essas sequências foram, na maioria das vezes, recheadas de efeitos especiais. É normal, é claro, dado que as cenas envolvem personagens com poderes semelhantes aos deuses.

No entanto, as Aves de Rapina não têm poderes, tirando a Canário Negro e seu grito poderoso. O filme é um veículo principal para quatro personagens que não têm habilidades especiais além de impressionantes habilidades de luta e coragem.

Em Aves de Rapina, Arlequina, Dinah e Helena mostram suas habilidades em ocasiões separadas – seja Dinah matando dois homens em um beco ou Arlequina balançando seu taco de beisebol para matar caras maus em um vestiário. Por si só, cada uma dessas personagens é uma força a ser reconhecida.

Mas juntas elas criam a melhor cena de luta do DCEU – até o momento.

A batalha do terceiro ato de Aves de Rapina chega logo depois que as quatro personagens principais finalmente se unem. Arlequina, Dinah, Caçadora e Renee Montoya se encontram no parque temático Amusement Mile e, por interesses comuns, decidem lutar juntas contra o exército de capangas de Máscara Negra.

Começa como uma luta pela sobrevivência, mas se transforma em outra coisa: uma experiência de união.

Em algo parecido com um parque de diversões, as Aves de Rapina travam uma batalha brutal e de pernas para o ar que fãs nunca viram no DCEU. A coreografia é meticulosa e cinética, o trabalho da câmera é focado e eficaz e as performances são cheias de coração, suor e toda a ferocidade que se poderia reunir.

A sequência apresenta brutalidade ininterrupta e destaca os diferentes estilos de luta de todas as personagens, sejam as habilidades de Caçadora com uma besta ou os movimentos inspirados na ginástica de Arlequina.

Resultado impressionante

Quando tudo acaba e o último golpe termina, tudo o que resta para alguém fazer é bater palmas. A cena estendida é uma experiência sem fôlego que implora para ser revisada apenas para vê-la novamente e capturar o que você mais perdeu da primeira vez.

O único outro momento do DCEU que pode se aproximar disso é a cena de luta do armazém de Batman em Batman v Superman: A Origem da Justiça. É um momento marcante para o Cavaleiro das Trevas que captura tudo o que é essencial sobre o personagem, que é exatamente o que Aves de Rapina oferece para suas personagens principais nessa briga épica.

São apenas quatro mulheres com nada além de punhos e espíritos implacáveis. Ah, e talvez um martelo ou dois.

Aves de Rapina, da DC, está em cartaz nos cinemas.