Herói da Marvel pode ter criado sucessores dos Vingadores no MCU

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Poderia o estalo do Hulk em Vingadores: Ultimato ter gerado essencialmente o filme Os Eternos? O longa-metragem é visto como um dos mais arriscados da Marvel.

Criados por Jack Kirby em 1976, os Eternos nunca foram uma das maiores marcas da Marvel. De fato, naquilo que certamente era apenas um momento ruim e uma falta de sinergia, os quadrinhos mataram os Eternos apenas três meses depois que a Marvel anunciou o MCU.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ainda assim, o hype está crescendo para o filme, ajudado por algumas excelentes decisões de elenco e pela adição de Kit Harington como o Cavaleiro Negro. A Marvel lançou recentemente a primeira sinopse de Os Eternos, e surpreendeu os fãs ao confirmar que a maior parte do filme será ambientada após os eventos de Vingadores: Ultimato.

Até agora, acreditava-se geralmente que Os Eternos teria inspiração nos quadrinhos de Jack Kirby. A sinopse, no entanto, está muito mais próxima dos eventos do relançamento mais recente de Neil Gaiman – e, como tal, levanta uma explicação potencial intrigante para o motivo pelo qual os Eternos fizeram sua estreia no MCU depois de Vingadores: Ultimato.

A fase de Neil Gaiman serviu como um relançamento de Os Eternos

Os Eternos foram uma das últimas criações de Jack Kirby para a Marvel Comics, e a Marvel sempre apontou os quadrinhos de Kirby como inspiração para o filme. A sinopse, no entanto, não está nada parecida com os Eternos de Kirby, dos anos 70, cujas histórias imaginavam essa raça antiga como vivendo à parte da humanidade em uma comunidade isolada, mais ou menos parecida com os Inumanos.

Em vez disso, parece um pouco mais com o relançamento de Neil Gaiman em 2006. Gaiman foi convidado a “consertar” os Eternos, a encontrar uma maneira de completar a história de Kirby e incorporar os antigos alienígenas no Universo Marvel.

Gaiman aceitou o desafio e alcançou seus objetivos essencialmente reinventando os Eternos, revelando que eles haviam sido absorvidos pela raça humana e haviam esquecido quem realmente eram.

Na série de Gaiman, um dos Eternos – um ser eternamente jovem chamado Sprite – ficou descontente com o fato de nunca mais crescer. Furioso depois de um milhão de anos sendo tratado como uma criança, Sprite atacou seus parentes Eternos, usando seus poderes para distorcer a realidade e modificar suas memórias.

Um dos Eternos, Ikaris, conseguiu recuperar sua verdadeira identidade e começou a ajudar os outros a descobrir a verdade; chegou bem a tempo, dado que os Deviantes estavam se preparando para fazer um jogo para poder próprio.

É possível que a Marvel tenha desviado um pouco os espectadores apontando para a sequência de Kirby, e que em vez disso, a maior parte da narrativa do filme foi tirada de Gaiman. Se for esse o caso, explicaria claramente por que os Eternos não foram vistos no MCU até agora: simplesmente porque eles não tinham ideia de quem eram, ou mesmo que possuíam o tipo de poder bruto que lhes permitiria ficar lado a lado com os Vingadores mais poderosos contra ameaças como Loki, Ultron e até Thanos.

Poderia o estalo do Hulk ter sido responsável por restaurar os Eternos?

É possível que os eventos de Vingadores: Ultimato tenham levado ao retorno dos Eternos. É importante lembrar que o estalo de Thanos em Vingadores: Guerra Infinita apagou metade de todos os seres vivos do universo – metade dos humanos, metade dos Kree e, claro, metade dos Eternos.

A natureza precisa do processo é incerta; o que quer que Thanos fez, não parece ser o mesmo que matar alguém, o que explica por que o Doutor Estranho poderia prever resultados onde as vítimas instantâneas não foram trazidas de volta. Em vez disso, uma boa analogia é que o estalo funcionava como os transportadores de Star Trek, convertendo matéria de um estado para outro, deixando um registro em algum tipo de plano de existência alternativo.

Mas, o que quer que tenha acontecido, ainda seria o mais próximo que um Eterno chegaria da morte real.

A questão interessante é se um Eterno – mesmo um Eterno inconsciente, que havia esquecido sua verdadeira identidade – teria sentido essa vinda. Certamente há precedentes no MCU: Vingadores: Guerra Infinita revelou que o Homem-Aranha sentiu sua morte iminente, cortesia de seu Sentido Aranha.

Até um Eterno, limpo de memória, está em sintonia com o cosmos, possuindo uma habilidade inata que a Marvel Comics descreve como “consciência cósmica”. É razoável supor que os Eternos teriam percebido que algo estava errado – bem antes de desmoronarem em pó.

E então, em Vingadores: Ultimato, o Hulk trouxe todos de volta. Para usar a analogia de Star Trek novamente, ele restaurou os padrões que haviam sido armazenados no plano alternativo e, em teoria, todos teriam retornado exatamente no mesmo estado.

Para um Eterno limpo de memória, no entanto, a própria experiência do estalo teria iniciado um processo de transformação. Seus poderes inatos, sua consciência cósmica, teriam sido acionados como cortesia de Thanos; eles teriam então retornado em meio a outra labareda de energia cósmica, que eles também teriam sido capazes de sentir.

Seu condicionamento mental poderia muito bem ter começado a quebrar como resultado.

Isso poderia explicar por que Os Eternos precisa acontecer depois de Vingadores: Ultimato

Se essa teoria estiver correta, ela explica claramente por que os Eternos não foram vistos no MCU até agora – e também por que eles começaram a emergir das sombras após Vingadores: Ultimato. Os Eternos que voltaram à existência teriam começado a sentir quem realmente eram, talvez experimentando flashbacks impossíveis de eventos há milênios atrás – combinando com fotos que mostravam tudo, desde a antiga Babilônia até os cenários medievais.

Eles também teriam potencialmente atraído a atenção de seus antigos inimigos, os Deviantes, que estavam manipulando a humanidade na ausência dos Eternos e que naturalmente reconheceriam sinais de que seus inimigos imortais estavam voltando.

Tudo isso prepararia o terreno para os Eternos emergirem no MCU. Seria uma abordagem inteligente para a história dos Eternos, permitindo que os espectadores aprendessem sobre esses alienígenas antigos ao redescobrir sua própria história.

De fato, a narrativa seria uma inversão de Capitã Marvel, onde uma soldado dos Kree descobriu gradualmente que ela era realmente humana; desta vez, as estrelas seriam seres humanos que descobriram que eram, para todos os efeitos, secretamente deuses.

E é uma história que só poderia ser contada depois de Vingadores: Ultimato.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio