Contém spoilers!

Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica, o mais novo filme da Pixar, conta a história de dois irmãos em uma missão mágica, lembrando assim vagamente a premissa do recente Frozen 2. No coração de Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica, no entanto, há uma moral sobre o amor entre dois irmãos, apesar das probabilidades em suas vidas.

Essa mensagem definitivamente reflete a do primeiro Frozen, embora talvez não da maneira mais agradável.


A resolução deste tema em Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica é particularmente complicada. Enquanto isso, seu uso no primeiro Frozen foi o coração ártico da história desse filme.

Aqui está a maneira que cada filme retratou os relacionamentos entre irmãos e por que foi feito de maneira muito melhor em Frozen.

Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica

Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica conta a história de Ian Lightfoot e seu irmão mais velho, Barley, elfos que vivem em um mundo em que a magia aparentemente quase desapareceu. No aniversário de 16 anos de Ian, ele recebe um presente de seu pai falecido que pode ser o caminho para revivê-lo, mas depois de um acidente mágico, os dois irmãos são forçados a ir em uma missão para concluir a tarefa.

Barley aguarda ansiosamente uma aventura real, enquanto Ian simplesmente quer finalmente conhecer o pai que ele nunca conheceu.

A trilha finalmente leva os dois de volta à sua cidade natal, levando Ian a desistir de decepção. Depois de uma batalha tumultuada com um dragão de pedra, que deixa Ian preso atrás dos escombros, o pai dos meninos é brevemente restaurado à vida.

Barley tem uma última conversa com ele, embora Ian não consiga vê-lo cara a cara. Apesar disso, Ian percebe que Barley sempre esteve lá por ele e agradece a jornada que fizeram juntos.

Frozen

Em Frozen, Anna e Elsa são duas irmãs que literalmente crescem separadas porque Elsa se isola depois de quase matar Anna com seus poderes criogênicos. Quando seus poderes são descobertos, Else foge de seu reino, e, sem saber, lança a área circundante em um inverno eterno.

Anna tenta alcançar sua amada irmã, mas um acontecimento que segue amaldiçoa Anna a ser congelada viva se ela não for libertada por um ato de amor verdadeiro.

Embora o interesse amoroso inicial de Anna, Hans, pense que isso pode ser feito beijando-a, ele também tem planos muito mais insidiosos. Hans quase mata Elsa, mas antes que ele possa, Anna entra no caminho, congelando da cabeça aos pés como ela faz.

Uma triste Elsa chora por sua irmã, mas o sacrifício heroico é o ato de amor verdadeiro que foi necessário para quebrar a maldição, levando Anna a voltar à vida.

Por que Frozen foi melhor

Em Frozen, o relacionamento entre as irmãs é frontal e central, e é essa força motriz que faz Anna arriscar tudo de novo e de novo para restaurar seu relacionamento com Elsa. O final em que as irmãs restabelecem sua conexão é plantado desde o início do filme, e a importância de seu relacionamento com as duas irmãs é tecida por toda parte para tornar o clímax satisfatório.

É parte do motivo pelo qual a subversão do filme do típico tema de amor romântico da Disney funciona tão bem, pois a alternativa é apresentada desde o início. Elsa é cética em relação ao “amor” de Hans por Anna, e seu amor por sua irmã é o motivo pelo qual ela aponta isso.

Esse relacionamento e o sacrifício final que Anna faz – que expande a definição do que pode ser o verdadeiro amor – também fazem funcionar a ideia banal de amaldiçoar o amor.

Em Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica, no entanto, o relacionamento que está em primeiro plano até os momentos finais do filme é o de Ian com seu pai. Isso faz com que a restauração do pai dos irmãos pareça um ponto final lógico do filme, mesmo que isso fosse esperado.

No entanto, o final real é muito pior. O reconhecimento de Ian pelo valor do relacionamento dele e de seu irmão aparece como um prêmio de consolação por Ian não conhecer seu pai.

Não era o objetivo que os dois estavam trabalhando em sua jornada angustiante, e o filme não faz questão de celebrar sua irmandade até o final do filme. Até então, Ian parecia irritado ou envergonhado por seu irmão mais velho.

Como resultado, sua percepção de que seu irmão é a pessoa que sempre esteve lá para ele, enquanto emocionante, não parece particularmente natural.

Frozen conseguiu expandir ainda mais o profundo amor entre suas irmãs protagonistas em sua sequência, mas, dado o quanto Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica falha em seus irmãos, pode não merecer a chance de fazer o mesmo.

Você sabia que os usuários do Disney+ passam mais tempo na Netflix? E que o Coronavírus fez o lançamento do streaming ser cancelado na Europa? Você viu os 7 desenhos antigos que a Disney confirmou no seu streaming? Foi confirmado que na Disney+ terão séries dos X-Men, do Homem-Aranha e do Quarteto Fantástico! O streaming admitiu a venda de contas hackeadas! Além disso, ele deixará você PEDIR o que quer ver! Entenda porque as polêmicas do passado da Disney não serão excluídas. Confira TUDO o que sabemos sobre a Marvel no Disney+ acessando o Observatório de Séries.

Com Tom Holland e Chris Pratt, de Vingadores: Ultimato, Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica está em cartaz nos cinemas.