Frozen 2 fez o maior sucesso ao continuar a história de um dos filmes contemporâneos mais icônicos da Disney. A sequência mudou o cenário, e trocou Arendelle pela Floresta Encantada.

No filme, Elsa descobre a verdade por trás de seus poderes, o que traz grandes consequências para a protagonista e seu reino.

Segundo um artigo publicado pelo site Screen Rant, Frozen 2 além de contar com uma história criativa e interessante, não repete os mesmos erros de filmes com tramas semelhantes.


Confira abaixo como Frozen 2 melhorou alguns aspecto de longas como Pocahontas e Avatar.

Semelhanças e diferenças

Comparado com outros filmes da Disney, Frozen 2 tem uma história única, já que consegue emitir uma mensagem política sem contar com a ajuda de um vilão centralizado, como acontece com Rattcliffe em Pocahontas.

Ao invés disso, Frozen 2 usa os atos de uma geração passada como justificativa para as dificuldades atuais enfrentadas por Elsa, Anna e outros personagens.

Pocahontas tentou mudar completamente as partes mais controversas da vida da protagonista, que é inspirada em uma figura real.

O filme apresentou uma versão “sanitizada” da história de Pocahontas, com um personagem caricato e exagerado como o vilão que deveria representar a força colonizadora.

Avatar também tem problemas parecidos, investindo no clichê de um “Salvador Branco” e mudando o foco que deveria ter sido dado aos Na’Vi.

Frozen 2 evita essas tramas “problemáticas” ao confrontar o colonialismo do passado de frente, não excluindo os antepassados de Anna e Elsa em sua distribuição de culpa.