Sem sexo na quarentena? Você vai se identificar com Brincando com Fogo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Netflix tem um reality show que parece entender a situação de muitos fãs: Brincando com Fogo. Nele, os participantes não podem fazer sexo – pior, nem dar beijos ou demonstrar esse tipo de carinho de alguma forma.

Inicialmente, poderia parecer uma resposta da Netflix à concorrência. A Amazon Prime Vídeo tentou conquistar o público com o reality Soltos em Floripa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Soltos em Floripa tem a proposta totalmente oposta. Um grupo de jovens é levado para Florianópolis para basicamente curtir a vida adoidado – com muito sexo, ainda por cima.

Porém, Brincando com Fogo parece casar mais com a situação da pandemia do coronavírus (COVID-19) do que uma resposta para concorrência.

Assim como em Brincando com Fogo, as pessoas estão isoladas socialmente – com muitas sozinhas em suas residências.

A diferença é que no reality, os participantes não devem fazer sexo para ganhar o prêmio de US$ 100 mil. A cada tipo de contato, uma quantia em dinheiro é descontada – com o valor conforme o ato praticado.

Brincando com Fogo é a quarentena

Brincando com Fogo constrói uma narrativa única. Dez participantes, divididos em cinco homens e cinco mulheres, simplesmente devem construir relações mais profundas.

O problema é que esse não parece ser o perfil de nenhum desses participantes. Com isso, Brincando com Fogo e a Netflix criam um cenário totalmente inovador e provocante.

Porém, novamente, o que mais chama atenção é que realmente parece um reflexo da quarentena.

Como notou o Wired, Brincando com Fogo traz dois grupos que se formaram na quarentena. De um lado, aqueles que não estão interessados em sexo no momento – no reality, por conta do dinheiro.

Do outro, porém, estão aqueles que lutam contra o desejo sexual no alto da quarentena. A afirmação tem um fundo científico, como conta a pesquisadora Marie Géonet, da Universidade de Louvain, da Bélgica.

“Não há um consenso científico”, diz a pesquisadora. Mas, há indícios de que o estresse pode tirar o desejo sexual de algumas pessoas, como pode simplesmente potencializar em outras.

Janna Dickenson, pesquisadora de psicologia sexual no Instituto da Califórnia, concorda sobre o estresse ser um regulador do desejo por sexo.

“Nós pensamos no desejo sexual como uma motivação, e como qualquer motivador, quando é vista como um desafio superável, a vontade aumenta”, diz a pesquisadora.

Outro ponto é que tanto o estresse quanto o sexo liberam a ocitocina, que “pode ser uma resposta para a busca de apoio social”. Para pesquisadora, o comportamento sexual “é uma extensão desse apoio”, que pode também ajudar a reduzir o estresse.

A única diferença entre a quarentena e Brincando com Fogo é que no mundo real as pessoas ainda podem se dar o prazer. É algo recomendado pela própria Janna.

“Como uma terapeuta sexual, estou empolgada para ver onde isso vai. É uma maneira das pessoas se engajarem com a própria sexualidade de uma maneira nunca feita antes, para explorar a atividade solitária. Se permita um espaço para experiências”, aconselhou a especialista.

Outra forma de passar a quarentena é assistir Brincando com Fogo. O reality show está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio