Te cuida Stallone: Resgate torna Chris Hemsworth o grande novo astro de ação

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O poder das estrelas é algo que tem cada vez menos impacto. A capacidade de vender um filme baseado apenas no nome de um ator é uma escassez nos modernos filmes de ação de Hollywood, onde os nomes dos personagens, como James Bond, John Wick e Homem-Aranha, e franquias familiares, como Marvel, DC e Star Wars, são muitas vezes mais valiosos do que o nome de um ator.

Sylvester Stallone. Arnold Schwarzenegger. Bruce Willis. Tom Cruise. Denzel Washington. Will Smith. Os anos 90 eram um paraíso para nomes de astros, e a estrela certa era um desvio suficiente para transformar até o enredo mais familiar em um sucesso de bilheteria.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A qualidade que faz uma estrela não mudou, mas a atenção do público mudou. Os filmes que deveriam estar no topo das bilheterias duas décadas atrás agora estão relegados a decepções financeiras, e os atores que interpretam os super-heróis das franquias mais populares lutam para traduzir esse interesse dos fãs para outros projetos no mercado de cinema.

Mas isso pode estar mudando na era do streaming, à medida que o poder de estrela antiquado se torna uma nova moeda.

Evolução na carreira

Recentemente, foi lançado o mais novo filme original da Netflix, Resgate. De maneira muito parecida com o que acontecia antigamente, o foco está totalmente no nome do protagonista: Chris Hemsworth, o famoso intérprete de Thor na Marvel.

Hemsworth é o exemplo perfeito para considerar a diminuição do poder de estrela tradicional e seu potencial recém-descoberto. Antes de conseguir o papel de Thor no filme de Kenneth Branagh, em 2011, a filmografia de Hemsworth consistiu em um breve papel como George Kirk em Star Trek (2009) e pequenos papeis de apoio nos filmes de terror A Trilha (2009) e O Segredo da Cabana (2011), que mostrou alcance inicial, mas não sugeriu necessariamente um líder.

Thor e Os Vingadores deram a ele material mais pesado, mas a importância desses trabalhos resultou principalmente em papeis que pouco fizeram para diferenciá-lo da cultura atual de Hollywood de grandes atores loiros. Amanhecer Violento (2012) e Branca de Neve e o Caçador (2012) foram os sinais mais imediatos de que sua interpretação de um super-herói não resultou automaticamente em um grande retorno em bilheteria.

Branca de Neve e o Caçador foi um sucesso de bilheteria, mas como a terrível sequência O Caçador e a Rainha do Gelo provou, o sucesso do primeiro tinha mais a ver com um apego ao conto de fadas e um ótimo trailer do que qualquer interesse real em Hemsworth como ator.

O passo mais importante na carreira pós-Thor de Hemsworth foi interpretar James Hunt em Rush – No Limite da Emoção de Ron Howard (2013). O charme e a arrogância de Hemsworth, totalmente expostos aqui, manifestaram algo mais profundo em sua capacidade como intérprete.

Nos anos posteriores, o ator se envolveu em fracassos de bilheteria como Hacker (2015), No Coração do Mar (2015) e até Caça-Fantasmas (2016), que provou que o astro não se levava muito a sério quando se trata de parecer um galã sem muita inteligência. Esse gosto pela comédia foi muito aproveitado em Thor: Ragnarok (2017), que, ao fazer sucesso, revitalizou seu papel na Marvel e deu uma nova cara a seu personagem.

Entre os destaques, ele também apareceu em Maus Momentos no Hotel Royale (2019), um filme muito subestimado, e MIB: Homens de Preto – Internacional (2019), que fracassou após uma produção cheia de turbulência.

Novo tipo de astro

O interessante de sua carreira é que, aos trancos e barrancos, Hemsworth mostra a evolução mais consistente como ator de seus colegas de elenco dos Vingadores. Nunca há uma sensação de que ele simplesmente se acomodou no conforto de ser um ator conhecido por um tipo de papel, mesmo que ele se encontre aparecendo em alguns gêneros com mais frequência que em outros.

Isso levou a Resgate (2020), um filme de ação vendido pela Netflix com total destaque para a imagem de Chris Hemsworth. É um projeto que ele carrega nas costas, e parece ter dado certo: o longa está no topo dos conteúdos mais assistidos do serviço de streaming desde que estreou.

Resgate não é o primeiro dos lançamentos de grande orçamento da Netflix, que incluem Esquadrão 6 (2019) e Bright (2017), mas é sem dúvida o melhor. Chris Hemsworth pode ter encontrado seus problemas ao se estabelecer no cinema, mas é um nome que com certeza pode pintar em mais filmes de ação da Netflix no futuro – e assim nasce um novo tipo de grande astro do gênero.

Resgate já está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio