Publicidade

Um Amor, Mil Casamentos estraga dois gêneros da Netflix com reviravolta boba

Publicado por Victor Carvalho

12/04/2020 13:52

Pode conter spoilers!

O romance Um Amor, Mil Casamentos chegou recentemente ao catálogo da Netflix, e rapidamente se tornou uma das produções mais assistidas da semana. No entanto, a recepção tem sido divisiva.

A história acompanha Jack (Sam Claflin), um homem que fica apaixonado por Dina (Olivia Munn), mas nunca recebe a chance de mostrar todo o seu interesse. Eles têm alguns encontros eventuais, mas enquanto Dina também esconde uma paixão por Jack, algo sempre dá errado enquanto eles tentam se aproximar e eles nunca conseguem uma chance de desenvolver um relacionamento.

A reviravolta acontece quando, depois de resultados desastrosos, o filme retrocede para mostrar o que poderia ter sido diferente. Assim, um segundo final se desenrola, mas isso não deixou algumas pessoas menos frustradas.

O site Polygon escreveu uma crítica negativa sobre o novo filme da Netflix. O texto detonou o que chamou de “reviravolta boba” e apontou que Um Amor, Mil Casamentos consegue estragar dois gêneros diferentes.

Dois gêneros arruinados

O primeiro, é claro, é o gênero do romance. O filme nunca dá muitas evidências de que Jack e Dina formariam um casal interessante.

Eles simplesmente não têm química juntos: eles quase não têm personalidades, além de serem suavemente atraentes e terem sorrisos vencedores. A maioria dos romances coloca obstáculos ou mal-entendidos entre um possível casal, mas os eventos desse filme são tolos demais para que isso seja convincente.

Outro grande problema é que, enquanto o primeiro final foi arbitrário, o segundo foi igualmente arbitrário, deixando Um Amor, Mil Casamentos com uma grande sensação de vazio. Normalmente, filmes como este são docemente fantasiosos, acompanhando uma jornada de eventos até que os protagonistas fiquem juntos, conforme o esperado.

Em vez disso, este sugere que a conexão deles não é motivada, destinada ou mesmo merecida. É uma maneira estranha de minar o gênero cinematográfico de “desfechos alternativos”, fazendo com que nenhum caminho alternativo seja importante, afinal.

Um Amor, Mil Casamentos já está disponível na Netflix.

Publicidade