Você notou? O Poço, da Netflix, tem terrível significado oculto

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Se você é um fã de filmes de terror, há uma boa chance de já ter visto o novo suspense espanhol da Netflix, O Poço.

O filme em língua estrangeira já conquistou uma classificação de 82% de aprovação do Rotten Tomatoes por sua misteriosa jornada em uma prisão do futuro, com uma torre vertical e uma única plataforma de comida para todos os presos – os que estão nos níveis mais altos comem como reis, enquanto os que estão nos níveis mais baixos morrem de fome ou se transformam em canibais apenas para evitar passar fome.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Iván Massagué estrela O Poço como o personagem principal, Goreng. Vemos como o preso voluntário (em troca de um diploma universitário) enfrenta seis meses de prisão em vários níveis da prisão, onde seus companheiros de cela nunca duram muito.

No Nível 171, seu primeiro novo amigo, Trimagasi, tenta matá-lo para que ele possa comer sua carne enquanto eles enfrentam perspectivas de um mês naquele andar sem comida, mas Goreng acaba se safando. Ele então sobe para o Nível 33, onde a qualidade de vida é um pouco melhor, e encontra Imoguiri, uma ex-guarda que se mata quando é movida para o Nível 202.

Depois de ser informado por Imoguiri de que a prisão é realmente um experimento de “solidariedade espontânea”, Goreng começa a tentar mudar a ganância das pessoas nos andares acima, garantindo que as pessoas em todos os 333 níveis sejam alimentadas. E sim, os 333 andares com dois internos em cada andar representam 666, também conhecido como o número do Diabo.

De lá até o fim, as almas de seus ex-companheiros de quarto o assombram enquanto ele coloca sua vida em risco para ajudar aqueles que mais precisam.

Qual é a mensagem de O Poço?

Se você pode ver através da superfície deste filme arrepiante, realmente possui um simbolismo muito importante para o mundo real.

Muitas pessoas pensam que é uma representação da ganância na sociedade. A noção é que, se cada pessoa levasse o suficiente para sobreviver, haveria muito para todos.

Mas nem sempre é assim que as pessoas agem – uma mensagem bastante comovente na atual pandemia de coronavírus.

Os que estão nos andares superiores da prisão desfrutam de banquetes com suas comidas favoritas e, quando aproveitam o máximo e a plataforma se move para cada nível, simplesmente não há o suficiente para os outros, deixando as pessoas nos andares inferiores morrendo de fome.

Parece bastante viável, certo?

No entanto, o diretor do filme, Galder Gaztelu-Urrutia, disse ao Digital Spy que não há uma mensagem concreta e ele deseja que seja deixada aberta à interpretação: “No final das contas, o filme não vai mudar o mundo, mas pode mudar o espectador.”

“Portanto, também não mexemos com ninguém em particular. Só temos representações verdadeiras com as alucinações de Trimagasi e Imoguiri, que representam egoísmo e altruísmo. O filme não retrata ninguém como particularmente ruim ou bom; é tudo sobre perguntar o que você faria se se encontrasse no Nível 200 ou no Nível 48.”

Por ser comparado ao premiado Parasita, esse suspense psicológico não é para os fracos de coração, mas vale a pena conferi-lo.

O Poço já está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio