ALERTA DE SPOILERS!

La Casa de Papel trouxe uma surpresa para os fãs na Parte 4. Ao contrário do primeiro assalto, na Casa da Moeda, a nova história não foi resolvida em duas partes.

A história mostrada na 4ª temporada deixou em aberto o desfecho para mais um ano de La Casa de Papel. Mas, foi uma boa escolha?

É certo que os fãs só poderão responder depois que a história for lançada. No entanto, La Casa de Papel precisa acabar na Parte 5 – isso fica provado pelos últimos episódios exibidos.


A Parte 4 tenta inovar, mas peca em algumas repetições. Além disso, decepciona os fãs com a morte de Nairóbi – em um arco que serviu para aumentar a história do roubo ao Banco da Espanha.

La Casa de Papel está enrolando os fãs

Depois de uma Parte 3 eletrizante na Netflix, La Casa de Papel apresentou uma 4ª temporada morna. O que foi notado foi uma série de arcos feitos para atrasar a história.

Era tudo o que ninguém imaginava e o que pode ter decepcionado muitos fãs. A Parte 3 terminou deixando o Professor em um novo lugar: ele estava perdendo e precisava de uma saída genial para virar o jogo.

Porém, a Parte 4 diminui esse cenário e aos poucos passa a focar em cada personagem, deixando de lado a trama central. Exemplos como esse são vistos por toda temporada.

Os dois primeiros episódios são completamente focados na luta pela vida de Nairóbi e no caos do Professor. Ao mesmo tempo, muitos flashbacks são usados – principalmente com Berlim.

A trama com Nairóbi até faria sentido. Mas, a história da personagem é construída, chegando até a ter uma operação milagrosa, para depois a assaltante ser assassinada pelo chefe de segurança do Banco da Espanha, Gandía.

O vilão do bando, aliás, é o principal artifício para atrasar a conclusão do roubo ao Banco da Espanha. De forma absurda, o segurança consegue escapar e começa a aterrorizar os assaltantes.

A Parte 4 de La Casa de Papel ganha uma típica trama de filme policial envolvendo a perseguição dos mocinhos contra o bandido. Até Gandía não ser capturado de novo, a história fica parada.

Nesse meio tempo, vale destacar, há até um drama formado pelo quarteto Denver, Rio, Tóquio e Estocolmo. Esse trecho foi de longe o menos empolgante da temporada e que não trouxe nenhum valor interessante para história do assalto.

O ritmo só volta a ficar eletrizante nos capítulos finais, quando o Plano Paris é ativado. O esquema consiste em resgatar Lisboa. No processo, Alicia, Tamayo e as autoridades são queimadas.

É por isso que La Casa de Papel tem que acabar

Na Parte 3, La Casa de Papel abusou das repetições de trama em um novo assalto. Na 4ª temporada, comete mais um erro que pode atrapalhar a série: aumentar a história sem necessidade.

La Casa de Papel tinha tudo para acabar a história na Parte 4, dando uma conclusão objetiva, como foi nas duas primeiras partes. Mas, preferiu esticar um pouco mais para aproveitar o sucesso.

Essa estratégia, às vezes, pode não dar certo, principalmente quando os fãs ficarão um bom tempo esperando por novos episódios. Game of Thrones é um exemplo – de série popular passa a ser lembrada pela polêmica temporada final.

Ao aumentar a história do Banco da Espanha, La Casa de Papel pode cair cada vez mais em repetições, arcos vazios e ainda começa a criar o sentimento de cansar o público.

Acabar La Casa de Papel pode não ser algo ruim. Terminar a história não quer dizer encerrar a franquia.

La Casa de Papel tem tudo para continuar com filmes ou séries derivadas. Porém, com uma observação, desde que pare de matar os personagens marcantes e aqueles que o público ama.

As quatro temporadas de La Casa de Papel estão disponíveis na Netflix.

A Parte 5 ainda não tem previsão de lançamento.