O diretor Neill Blomkamp (de Distrito 9) erra a mão mais uma vez neste conto sobre inteligência artificial em uma Johannesburgo (África do Sul) infestada por crimes e violência. Se em Elysium já havia sinais da fórmula desgastada de alegorias que se remetiam ao festejado Distrito 9, Chappie não traz nenhuma inovação no currículo do diretor e vira uma confusão ao longo da projeção.

A trama aborda a empresa Tetravaal, que encontra grande êxito ao prover ao governo sul-africano, em substituição a força policial humana, robôs policiais (praticamente indestrutíveis) que combatem o crime de maneira satisfatória em favelas e bairros barra pesada. Estes robôs conseguem desmantelar gangues inteiras em operações violentas e praticamente sem baixas policiais.

O criador das máquinas é Deon Wilson, interpretado por Dav Patel (de Slumdog Millionaire), que decide desenvolver um protótipo de inteligência artificial e implantá-lo à revelia da CEO da Tetravaal em um dos robôs desativados da empresa. A partir daí, Chappie é criado e uma nova modalidade de robô que possui consciência e é altamente influenciado pelo ambiente externo cria um precedente perigoso se cair nas mãos erradas (ou mal intencionadas).


Chappie acaba sendo “seqüestrado” por bandidos que o ensinam a realizar pequenos delitos como roubar carros e PS4s. O robô é um espetáculo, bastante real, foi criado através da técnica de motion capture do ator Sharlton Copley (ator muso do diretor Blomkamp) e talvez seja a única razão do filme valer a pena ser conferido.

De visual bastante parecido com Elysium e Distrito 9, Chappie apenas reforça que Blomkamp talvez seja um homem de um filme só. O formato, figurino e visual tendem a se repetir nos três filmes lamentavelmente.

Cheio de personagens caricatos, não há uma atuação satisfatória no filme. Hugh Jackman  (de Wolverine) nunca esteve tão canastrão e Sigourney Weaver é absurdamente desperdiçada em uma atuação antipática que nada acrescenta a história.

Fica aquela sensação de dejà vu neste filme e a sensação de que os realizadores poderiam ter feito melhor com a estrutura e o orçamento que tinham. Vamos ver se Neil Blomkamp se redime em seu próximo projeto, o diretor foi escalado para dirigir o novo filme do Alien, que pode dar uma reboot na franquia no mínimo curioso.

Duas Estrelas

Por Marcello Azolino
www.facebook.com/marcello.azolino