Tratando sobre o tema da imortalidade, A Incrível História de Adaline sustenta uma tese curiosa e inventiva. E se uma pessoa pudesse parar seu processo de envelhecimento e quedar-se jovem para sempre? Blake Lively responde esta pergunta em seu mais novo drama que estreou recentemente no Brasil.

Com uma beleza estonteante, Lively carrega o filme com sua interpretação sensível e elogiada pela critica ao longo de várias décadas em que a história se passa. É interessante ver o impacto que a imortalidade causa em Adaline em relação às suas relações amorosas e a sua filha.

Com um elenco de apoio nobríssimo, o filme permite que atores consagrados deixem sua marca em cenas pequenas porém tocantes. Seja a sempre esplêndida Ellen Burstyn (de Réquiem para um Sonho), como a filha de Adaline, ou o coração partido interpretado por um Harrison Ford inspirado, tudo no filme é abordado com bastante apuro visual e boa direção de atores.


Por falar em direção, o filme é dirigido pelo jovem Lee Toland Krieger, que também foi responsável pelo agradável Celeste e Jesse Para Sempre (2012). O roteiro criativo é de autoria de J. Mills Goodloe e de Salvador Pascowitz, roteiristas sem muita expressividade na indústria que iniciam bem sua inserção em Hollywood.

Através de uma narração conveniente e de um texto marcante para esmiuçar o fenômeno que causou a imortalidade de Adaline, A Incrível História de Adaline não se torna chato e mantém o interesse do espectador ate o final da projeção.

Com uma paleta fria e melancólica, a fotografia do filme expressa sentimentos muito semelhantes aos experimentados pela personagem principal. Sempre deslocada nas décadas extras que a Adaline versão jovem ganhou com sua imortalidade, o “ônus” de não envelhecer parece atormentar a garota que vive fugindo e assumindo identidades falsas a fim de não levantar suspeitas sobre sua condição.

Em geral, A Incrível História de Adaline é um drama consistente que busca entreter sem apelar, apenas baseado na força de seu roteiro, qualidades valiosas nas salas de cinema atuais.

A Incrível História de Adaline