O ator Jim Carrey fez fama com muitas caras e bocas, literalmente, em seus primeiros filmes como os Aces Ventura, O Máskara, Débi e Loide e vários outros, até que de repente ele deu uma boa virada mostrando que podia fazer bons filmes e que sabia atuar como nos ótimos O Show do Truman, O Mundo de Andy e Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças. O ator Fábio Porchat conhecido por fazer papéis em comédias como no grupo de internet Porta dos Fundos de repente chega com o filme Entre Abelhas, um drama existencialista e que mostra que também pode ser um bom ator. Porchat e Carrey provam mais uma vez que o comediante antes de ser engraçado precisa ser ator e Porchat está sendo uma grata surpresa com o Entre Abelhas.

Em Entre Abelhas Porchat é Bruno, um editor de pequenos filmes que está se separando de sua mulher e vai morar com sua mãe e que de repente começa a perceber que as pessoas estão sumindo na sua frente, é um motorista de taxi que some sem deixar vestígios, são os amigos que estão sumindo da fotografia, é um garçom que ele não vê, preocupado ele procura a ajuda de um psiquiatra para tentar entender esse mal que o está consumindo.

O filme é dirigido por Ian SBF que também é diretor dos vídeos do Porta dos Fundos e escrito por ele e por Fábio Porchat e o Porchat é o grande achado do filme, com delicadeza ele vai colocando as camadas da personagem, em que a cada momento ficamos com mais tensão e agonia pela sua pessoa, faz um Beto triste, melancólico e deprê e nós só podemos sentir pena e pensar até aonde ele vai chegar. Irene Ravache está uma maravilha, ela e Luis Lobianco são os respiros para que possamos dar uma pequena relaxada na “tragédia” que Beto está vivendo. Entre Abelhas me remeteu a outros filmes, como Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, Ensaio Sobre a Cegueira, Dirigindo no Escuro e até A Pequena Miss Sunshine com uma bela e suave trilha sonora e isso só faz bem.


Pobre Bruno, o que está acontecendo com ele, por que as pessoas estão sumindo? De repente o que está acontecendo com ele é o que estamos vivendo no mundo atual, onde pessoas não enxergam as outras, onde vivemos mais com o celular e com as redes sociais do que com pessoas de carne e osso, onde estamos acompanhados estamos sozinhos, as relações estão ficando cada vez mais efêmeras e sem aprofundamentos, por isso o filme se faz tão necessário e urgente em nossos dias. Muitas pessoas podem acreditar que vão ver uma comédia escrachada e podem se assustar com o que verão, Entre Abelhas não é comédia, é drama e pronto, mas isso não quer dizer que você não vá rir também (e chorar). Vá de peito aberto para vivenciar uma história diferente e muito boa. E que os bons ventos do roteiro brilhante invadam cada vez mais o nosso cinema nacional.

Minha Nota: 8,5/10

Por Vavá Pereira
www.facebook.com/vava.pereira.79