Adrenalina pura, Mad Max: Estrada da Fúria é ação do princípio ao fim. O filme prende o espectador na poltrona e não permite que ele tire os olhos da tela. O longa traz o icônico Max Rockatansky (Tom Hardy), um homem que vive sozinho em um futuro pós-apocalíptico onde as pessoas lutam por gasolina e petróleo, apenas ele e seu carro em busca de sobrevivência.

Logo no começo do filme, Max cai em uma emboscada e é raptado por um grupo que obedece a um homem chamado Immortan Joe (Hugh Keays-Byrne) que lidera um grupo de sobreviventes, construindo uma nova sociedade primitiva onde ele decide tudo. Sendo assim, Immortan Joe envia a motorista Imperatriz Furiosa (Charlize Theron) até outra cidade onde recolheria gasolina. No entanto, Furiosa muda o rumo de sua missão tentando fugir com as mulheres de Immortan Joe que, agora, envia todos os seus homens para impedir a fuga, enquanto um deles usa Max como bolsa de sangue.

Mad Max: Estrada da Fúria não possui uma história profunda, não é um filme para reflexão, mas sim para diversão. Tanto que não dá para avaliar o filme como um bom roteiro, ele é apenas conceitual com muita perseguição de carros, explosões e tiros. O longa quase não tem drama, muto menos romance, é predominantemente ação e aventura.


As 2 horas de Mad Max: Estrada da Fúria apresentam, com excelente qualidade técnica, visual e sonora, cenas repletas de perseguições, tiros, lutas, explosões, carros, tudo isso em um cenário desértico de tirar o fôlego. Apesar de não ter história, o filme tem pegada e conquista o espectador.

A direção nervosa de George Miller, com cenas rápidas e uma trilha que mistura músicas melódicas e orquestrais com o alucinante rock’n roll, é de arrepiar. As atuações, embora quase não exista diálogo, também são boas. Tom Hardy executa sem dificuldades o frio Max e Charlize Theron rouba a cena como protagonista do filme.

Mad Max: Estrada da Fúria deve ser encarado como um filme que vai te proporcionar ação e muita adrenalina, somente isso, mas é o que basta para aquele momento de catarse, para quem não quer refletir sobre o enredo. Se você procura diversão, vai se esbaldar com o longa.

Mad Max: Estrada da Fúria

3 Comentários

  1. Complementando o meu post anterior: ouso dizer que, até o momento, Mad Max – Estrada da Fúria é o filme do ano. Só vejo um outro filme capaz de superá-lo: Star Wars Episódio VII – O Despertar da Força.

  2. “não possui uma história profunda, não é um filme para reflexão, mas sim para diversão. ”

    “não dá para avaliar o filme como um bom roteiro, ele é apenas conceitual com muita perseguição de carros, explosões e tiros”

    Tava até gostando da crítica mas quando cheguei nisso vi que foi escrita por um amador… Sim, o filme é divertido, sim, o filme é insano na ação, mas dizer que não tem um bom roteiro? Alguém aí precisa se informar mais sobre simbolismos, conceitos éticos, sociológicos, fé usada para manipular, população dominada por alguém que detém o poder para si, força feminina em meio ao caos. A muito do que se discutir sobre esse filme, concordo que a ação é um espetáculo a parte, mas pra não enxergar todas as camadas que a obra trás, o autor da crítica foi muito raso.

    Pelo menos nessa crítica você não foi feliz, vá ver o filme de novo e preste mais atenção. Tente ver além das perseguições insanas de carro e dos tiros que você vai extrair tudo que o filme tem a oferecer.

  3. Acabo de assistir ao filme. Espetacular. Concordo em grande parte com a crítica acima, mas não é apenas um filme de ação, Vai além disso. O filme dá uma visão feminina em um mundo pós-apocalíptico predominantemente masculino (algo que também vale no mundo atual).Charlize Theron está ótima e Tom Hardy mostra que é um digno sucessor de Mel Gibson, o Max original. George Miller já prometeu mais DOIS filmes da série. E preparem-se: no próximo, Furiosa vai voltar!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here