Zootopia – Essa Cidade é o Bicho é uma animação que segue os padrões dos estúdios Disney desde os anos 90. Diferentemente de sua criativa irmã, a Pixar, a Disney continua a risca seguindo sua fórmula e após dois grandes sucessos, Frozen e Operação Big Hero, lança o razoável, porém divertido Zootopia.

Se o novo projeto do maior estúdio de animação não é nada diferente pelo menos é interessante notar como a fórmula é extremamente bem desenvolvida em Zootopia, contendo uma personagem extremamente identificável com o público que logo conquista a todos, a coelhinha Judd, que luta contra tudo e todos para alcançar o posto de policial da cidade de Zootopia, mesmo sendo um animal de pequeno porte. Além da carismática personagem principal ainda há a raposa Nick, que serve como um contraponto cômico no longa e que se une a Judd para resolver uma misterioso caso na grande cidade dos animais.

Dessa forma, o filme da Disney segue aquele velho esquema de misturar ação, aventura e comédia a fim de conquistar todos os gostos possíveis, desde seus espectadores mais jovens até os pais destes, e convenhamos que tal tática ainda funciona muito bem. Uma das razões para isso é que Zootopia tem um timing cômico excelente, se os pequenos estão vidrados nas desventuras da pequena coelha, os adultos podem ficar tranquilos com as mais diversas tiradas, que funcionam muito bem durante todo o filme, contando com duas hilárias referências, uma do clássico O Poderoso Chefão e outra da série Breaking Bad.


É interessante notar como o longa compreende muito bem sua estrutura narrativa tão comum nesse tipo de filme e é capaz de brincar com a fragilidade desse padrão, como no momento em que o chefe de polícia diz que a vida não é como um filme que você canta uma música com todos seus desejos e ele simplesmente se realiza, satirizando a maioria dos filmes Disney inclusive este.

Dessa forma, Zootopia é mais uma prova que a Disney não almeja sair de sua zona de conforto, provavelmente esse novo projeto também arrecadará os importantes bilhões de dólares para o estúdio, mas só deixa claro também o abismo que fica entre a Pixar e o departamento de animação da Disney. Enquanto o primeiro tem como objetivo trazer algo novo e diferente a quase todo projeto, rompendo com os mais diversos padrões e fórmulas das animações convencionais, e isso acompanha a Pixar desde seu primeiro longa (vale a pena assistir a um vídeo Andrew Stanton, roteirista de Toy Story, chamado “As pistas para uma grande história” disponível no Ted Talks, na qual ele conta todas as alterações que ele fez nas fórmulas que a Disney impunha a seus roteiristas); do outro lado a Disney, que mesmo sendo um dos estúdios mais ricos de Hollywood parece se afastar de tudo o que pode ser diferente e seguir com sua velha e ultrapassada fórmula.

Assim, Zootopia é um longa que funciona dentro de sua proposta, porém, mais uma vez a Disney traz o que já foi visto inúmeras vezes em seus filmes, o que para eles é certeza de sucesso.

Zootopia - Essa Cidade é o Bicho

2 Comentários

  1. Assiti gostei muito do filme, trata a questão do preconceito de forma sutil e bem elaborada.

  2. Não vi “Zootopia” até o momento, portanto, nada posso dizer a respeito da opinião expressa. Porém, devo dizer que discordo de muitas das considerações deste texto.

    Quanto à Pixar: é verdade que outrora, os filmes do estúdio eram garantidamente inovadores, criativos, belos, memoráveis. Desde muito tempo, porém, isto já não tem sido necessariamente assim, infelizmente. Carros 2 foi pífio. Seu sucessor, Valente, segue as mesmas fórmulas dos filmes de princesa da Disney, sem aperfeiçoá-los: foi considerado apenas bom. “Universidade Monstros” ficou muito aquém de seu original e da originalidade do mesmo. A única adição recente aos clássicos da casa da lâmpada foi “Divertida mente”, seguido de perto por outro mediano, “O bom Dinossauro”.

    Em paralelo, desde “A princesa e o sapo” (2009), a casa do camundongo entrega títulos elogiados por público e critica. Com “Zootopia, diga-se, isto foi levado a um ponto culminante: o site rotttentomatoes dá ao filme 99% de aprovação, o melhor de 2016 até o momento e não falta quem insira este longa entre as melhores animações de todos os tempos e fale dele como “inovador”.
    http://www.rottentomatoes.com/m/zootopia/

    Nada contra opiniões diferentes, claro.

    Mas eu diria que já está na hora de (parte da) critica brasileira, à exemplo da internacional, olhar para os lados, interromper a excessiva e agora ingênua veneração ao estúdio de John Lasseter ..Parar com comparações pouco realistas e que instigam pouco reconhecimento aos (merecidos) méritos do outro estúdio.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here